foto: sintepp

A greve dos professores da rede municipal de Tailândia, completa nesta terça-feira, 17, vinte e seis dias, neste período, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp), não houve avanços na negociação com a prefeitura de Tailândia, e por esta razão, uma assembleia realizada na noite de ontem (16), optou por continuar com o movimento grevista.

Entre as reivindicações da categoria estão a garantia de 200 horas para todos os profissionais da educação, melhoria na merenda escolar, melhoria no transporte escolar, redução da quantidade de alunos por turma, reposição das perdas salariais retroativo aos meses de agosto de 2017, quando os professores passaram a receber as vantagens sobre apenas 100 horas aulas. Ao todo, a pauta da greve possui 15 itens, debatidos e aprovados em assembleia. Veja aqui a pauta de greve.

Neste período grevista, os professores realizaram diversas manifestações para chamar atenção da gestão municipal como passeatas, reuniões com o Ministério Público Estadual, idas a Câmara Municipal para usarem a tribuna livre e cobrar posição dos vereadores sobre a situação da educação no município. Os grevistas chegaram a ocupar e pernoitar na sede da Prefeitura Municipal, além de interditar a PA-150 por mais de 3 horas.

Ocupação da Prefeitura de Tailândia

Fechamento da PA-150

Em uma decisão monocrática publicada no dia 6 de abril a desembargadora Elvina Gemaque Taveira, do Tribunal de Justiça do Pará, deferiu parcialmente um pedido de liminar ingressado pela Prefeitura de Tailândia contra o Sintepp. Na decisão, magistrada determinou que o sindicato mantenha trabalhando 100% dos professores/servidores que atuem no 3º ano do ensino médio, e mantenha em atividade o mínimo de 80% dos professores/servidores no ensino fundamental. A multa diária para o descobrimento dessa decisão foi fixada em 10 mil reais, podendo chegar até 100 mil reais. Em um vídeo publicado na pagina do Sintepp o advogado do sindicato fala sobre essa decisão.

Sem entrar no mérito da questão, que ainda será julgado pelo juiz da Comarca de Tailândia sobre a legalidade da greve, a desembargadora determinou que o Sintepp não bloqueie nenhuma via pública, seja estadual ou municipal, que não impeça quem não aderiu a greve de trabalhar, e não utilize alunos nos movimentos realizados pela categoria.

De acordo com o sindicato, as determinações da desembargadora já estavam sendo cumpridas e por essa razão a categoria votou em manter a greve, que atinge apenas a rede municipal de ensino.

OUTRO LADO

A Prefeitura Municipal de Tailândia publicou uma nota oficial sobre a greve dos professores na qual reitera que não houve retirada de direitos dos profissionais concursados. A nota diz ainda que houve muitos transtornos à população por causa do fechamento da PA-150, da invasão de prédios públicos e impedimento de servidores e alunos de entrarem nas escolas. Veja a nota da íntegra aqui!

A prefeitura tem recebido apoio de servidores temporários, que já realizaram duas passeadas na tentativa de mostrar ao juiz de Tailândia a quantidade de professores empregados com a decisão da gestão municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *