Foto: Reprodução

A Polícia Militar de Benevides prestou apoio a uma mãe durante um parto na manhã de sexta-feira (13) no município da Região Metropolitana de Belém. Com o atendimento de emergência sendo feito a tempo, o parto foi feito na casa da mulher, e tanto a mãe quanto o bebê passam bem, sendo atendidos no hospital.

Era por volta de 9h30 quando, durante rondas de policiamento ostensivo, a guarnição composta pelo cabo Ramon e soldados Adhelon e Pantoja receberam um ligação no celular, onde uma mulher, pedia apoio urgente para sua sobrinha, que estava em trabalho de parto. A bolsa amniótica já havia rompimento há 30 minutos.

VEJA TAMBÉM

Como o local, no bairro Canutama, era de difícil acesso, a viatura levou cerca de dez minutos para chegar na casa. Como o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) e o Corpo de Bombeiros iriam demorar algum tempo, os PMs resolveram realizar eles mesmos o parto da mulher, identificada como Ana Paula.

O cabo Ramon, com auxílio da tia da grávida, ficou no quarto para providenciar o parto, enquanto os soldados se deslocaram para a rodovia BR-316 para esperar a ambulância do SAMU. Quando os médicos chegaram, o recém-nascido já havia sido entregue, são e salvo, à sua mãe.

A partir de então, os socorristas do SAMU continuaram com o atendimento, constatando que tudo estava bem. A mãe e o bebê foram levados para o Hospital da Divina Providência. Em agradecimento à Polícia Militar, a mãe disse que dará o nome do filho de Arthur Ramon, em homenagem ao cabo da PM que ajudou a trazer o bebê ao mundo.

A doutora Zuleide Soares, secretária de saúde de Benevides em exercício, disse que é comum que esse tipo de ocorrência aconteça, principalmente com mães que moram mais afastadas do centro e que já tiveram outros partos.

“Nosso município tem suporte para partos, mas é importante que seja feito o pré-natal sempre, pois é ele que ajuda a determinar a data do nascimento do bebê e faz com que a parturiente se antecipe. A rede municipal oferece os serviços de forma gratuita”, disse a médica.

Fonte: O Liberal.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *