Agricultores mobilizados em escola da vila Urucuré, no município de Acará, em setembro de 2019 (foto: Josenaldo Jr / Portal Tailândia)

Após uma disputa judicial de cerca de 17 anos, os agricultores da região denominada Urucuré, no município de Acará, nordeste do Pará, devem receber os títulos os definitivos dos lotes de terras.

Nesta quinta-feira (24), o Governo do Estado deve conceder 500 títulos definitivos de terras a agricultores da comunidade Urucuré, localizada na zona rural de Acará, divisa entre Tailândia e Tomé-Açu. A informação foi confirmada por fontes ouvidas pelo Portal Tailândia e está prevista para acontecer as 11h30.

Entenda a história

A ocupação ou invasão, começou ainda em 2005, após um grupo de agricultores formados principalmente por moradores de Tailândia, ocuparem parte de uma área que, segundo eles, era pública e estaria ilegalmente sob a posse de uma fazenda denominada Ipitinga.

De acordo com os primeiros invasores, a área pertenceria ao INCRA ou ao Estado e, os alegados donos não teriam os documentos de posse. Veja fotos da ocupação:

De lá para cá, diversos movimentos jurídicos foram realizados, mas o impasse parecia não ter fim.

Em 2019 a tensão aumentou e os moradores quase foram obrigados a deixar as terras após a Vara Agrária de Castanhal expedir um mandado de reintegração de posse. Na mesma ocasião, uma comitiva representando os moradores da Urucuré se reuniram com o prefeito de Tailândia, Paulo Jasper (Macarrão), pedindo apoio para a causa.

Após uma forte mobilização no dia 13 de setembro de 2019, na Câmara Municipal de Acará, onde ocorreu uma audiência, os agricultores respiraram aliviados. O juiz que conduziu a reunião, reconheceu falhas processuais e manteve os moradores na área.

Entrega de títulos

O evento desta quinta-feira, com a entrega de títulos definitivos, deve marcar mais um importante capítulo na história da comunidade.

Naquela região, de 2005 para cá, formaram-se famílias, a agricultura familiar ganhou força e a produção local tem impacto direto na vida de milhares de pessoas.

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *