Foto aérea da cidade de Tailândia, Pará (Foto: Josenaldo Jr./Portal Tailândia)
Foto aérea da cidade de Tailândia, Pará
Foto aérea da cidade de Tailândia, Pará

Tempo atrás escrevi um texto intitulado “ Criminalidade e Tailândia “. E hoje sou forçado a começar o texto no mesmo espírito invocando trecho da música do cantor de reggae brasileiro, Edson Gomes, que diz “ É tanta violência na cidade
Brother é tanta criminalidade… “.

Pois é, desde o texto citado, até agora positivamente nada mudou. Os homens de sangue, roubadores e profanos continuam agindo livres, leves e soltos. Os homicídios continuam sendo uma constante, os roubos a mão armada nos domicílios virou moda, furtos e roubos de motos, em fim o negócio é de assustar mesmo. A música continua “ … As pessoas se trancam em suas casas
Pois não há segurança nas vias públicas
E nem mesmo a polícia pode impedir
Às vezes a polícia entra no jogo
A gente precisa de um super-homem
Que faça mudanças imediatas
Pois nem mesmo a polícia pode destruir
Certas manobras organizadas…”

A empresária Norma Lucilene foi assaltada em frente ao seu estabelecimento na Av. Natal, com um detalhe, o Quartel da PM fica a poucos metros e mesmo assim os criminosos não se intimidaram. O homem de bem é refém, o homem de bem está preso, o homem de bem tem sua dignidade e direito de ir e vir violados.

É preciso haver uma mobilização das autoridades, chega de conversas esfarrapadas, de promessas, é hora de agir, de trabalho. Tailândia merece e precisa respirar ares melhores. Nossos jovens precisam ir e vir das escolas com tranquilidade, os trabalhadores que saem de suas casas para o trabalho necessitam de segurança para continuarem lutando pelo pão de cada dia, e com suas famílias poderem passear, gastar, rir, sentindo no peito a mais forte sensação de dignidade e liberdade.

Se nada for feito os homens de sangue continuarão semeando o medo e a morte na cidade. Continuarão estabelecendo o império que escraviza os inocentes, o pai e mãe de família, o estudante, o empresário, a todos. Olha o final da música: “ …É tanta violência na cidade
Brother é tanta criminalidade
A lua já não é mais dos namorados
Os velhos já não curtem mais as praças
E quem se aventura pode ser a última
E quem se habilita pode ser o fim
A gente precisa de um super-homem
Que faça mudanças imediatas
Pois nem mesmo a polícia pode destruir
Certas manobras organizadas
Não tudo um dia vai passar
Sei que tudo um dia vai mudar”.

Autoridades não sejam reféns, não deixe a sociedade refém da violência. É preciso agir dentro da lei, é necessário dá uma resposta, resposta dura, porém necessária.

Até lá, que Deus nos guarde!

 

 

Taciano Cassimiro | Colunista JORNAL FOLHA REGIONAL

 

 

Comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *