A partir da segunda semana de julho, os profissionais da Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, juntamente com a equipe do Corpo de bombeiros, estarão mais uma vez comunicando produtores rurais e empresários do ramo madeireiro sobre as boas práticas para evitar queimadas, durante o verão amazônico, período de maior incidência de fogo.

A comparação dos dados de focos de calor ao longo dos últimos 11 anos, fornecidos pelo INPE, registra uma redução média de mais de 74%, de 2008 em relação a 2019, no município de Tailândia.

Segundo o diretor de Fiscalização da Sectma, Dione Menezes, o trabalho de educação ambiental, tem sido de fundamental importância para esse resultado.

No ano passado, por exemplo, foram registrados 118 focos de calor, sendo que em 2008, ano da Operação Arco de Fogo, foram registrados 445.

Os dados diários coletados por satélites ao longo dos anos, permite a análise de tendências nos números de focos para mesmas regiões e entre regiões em períodos de interesse, o que conduz a atuação de técnicos e governos.

Sobre o pó de serragem, o engenheiro afirma ainda, que a responsabilidade sobre a manutenção e destinação do resíduo é da serraria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *