De acordo com informações da Polícia Civil, através da delegacia de Tailândia, o corpo de Gilmar Gonzaga Cardoso, de 32 anos, foi retirado do local, onde foi morto e deixado em uma vicinal para ‘esconder’ uma festa ‘clandestina'.

VEJA TAMBÉM

Veja o novo calendário de vacinação contra a covid-19 em Tailândia

Jovem de Tomé-Açu é transferida de Tailândia com hemorragia grave

“Índio”, como Gilmar era conhecido, foi alvejado com cinco tiros dentro de um balneário próximo ao distrito Palmares, na madrugada de domingo (6). Os tiros atingiram a cabeça, abdômen e ombro do homem.

Ainda segundo informações da polícia, ‘Índio’ era acusado de pistolagem na região. A morte pode ter sido um acerto de contas pelos crimes que ele teria cometido, ligados principalmente a pistolagem.

O local onde o homicídio aconteceu fica a mais de 60 quilômetros de Tailândia. Pelo decreto municipal, devido a pandemia, não deveria ter ocorrido.

O dono do balneário esteve na manhã desta segunda-feira (7) para prestar depoimento ao delegado de plantão, Márcio Nogueira. Por isso, a polícia acredita que o corpo foi retirado do local e colocado na vicinal.

Um vídeo, momentos após o homem ser baleado foram divulgados nas redes sociais. Em um deles, é possível ver duas mulheres pedindo para chamarem uma ambulância, mas Gilmar já estava morto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *