A cena é chocante, mas também revolta. No início desta semana, na região rural de Tailândia, no nordeste do estado do Pará, um cachorro teve um enorme ferimento no rosto depois de ser espancado com um facão.

O animal foi resgatado, mas o agressor ainda não assumiu a responsabilidade. Os policiais militares informaram que foram acionados para o fato que ocorreu nas proximidades da vicinal Badarote, mas quando chegaram ao local, o agressor acusado negou ter cortado o cachorro.

Com a ajuda da polícia a APAT, a Associação Protetora dos Animais de Tailândia, o cão foi resgatado. O caso chegou ao conhecido da entidade na terça-feira (7).

O corte profundo no rosto do animal mostra a crueldade imposta. Os outros dois cães, infelizmente não conseguiram escapar e foram mortos, segundo informações.

A foto circulou entre grupos de WhatsApp da cidade, fazendo com que muitas pessoas sentissem revolta e ficassem com raiva do agressor.

É crime

A Lei define como crime o ato de abusar, maltratar, ferir ou mutilar o animal. Logo, diversas situações são passíveis de serem enquadradas nessa infração. Dessa forma, caso alguém tenha ciência de abandono intencional, atropelamento sem socorro, envenenamento, crueldade ou qualquer ato que cause sofrimento físico ou psicológico desnecessário ao animal, poderá registrar um Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia de polícia ou comparecer ao Ministério Público para levar o fato ao conhecimento das autoridades competentes.

A Lei 14.064/20 adicionou um item específico na Lei de Crimes Ambientais aumentando a pena para maus-tratos a cães e gatos, que são as maiores vítimas desse tipo de crime. Na justificativa do projeto, a matéria foi definida como incentivadora da proteção e do respeito aos animais, bem como da noção de dignidade humana mais consciente do papel dos seres humanos na natureza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.