Para a polícia, a morte da jovem Géssica Tizon, de 21 anos, pelas mãos do próprio pai, se deu porque ela tentou proteger a mãe. O homem feriu gravemente a esposa e matou a filha em Rodeio, no Médio Vale do Itajaí (SC). Ele queria assassinar quem atrapalhasse a execução da esposa, segundo a Polícia Civil. homem também esfaqueou o cunhado e os sogros.

O crime foi premeditado, segundo a polícia, pois o assassino foi ao local do crime com arma de fogo e uma faca.

Segundo o delegado Ronnie Esteves, responsável pelas investigações, o marido estava disposto a matar a mulher e “qualquer pessoa que tentasse fazer a defesa dela”.

“É o principal indício de que ele iria cometer o crime e matar quem tentasse impedir o plano criminoso”, afirma o delegado sobre o suspeito ter ido armado.

O crime chocou a pequena cidade do Vale do Itajaí, na noite de segunda-feira (12). O homem teria se desequilibrado ao chegar à casa onde morava com a esposa e perceber que ela o havia deixado. Ele partiu armado para a casa dos sogros e praticou carnificina, matando a filha e esfaqueando a mulher e outras pessoas presentes no imóvel.

Percebendo que corria perigo, a mulher havia ido antes até a delegacia solicitar uma medida protetiva contra o marido. Com a escolta policial, ela voltou até a casa para pegar pertences e foi à residência da mãe.

A filha não morava mais com os pais, porém, naquele princípio de noite, foi à casa da avó para dar apoio à mãe. Ela presenciou a cena e teria tentado protegê-la, mas acabou assassinada pelo pai com pelo menos três facadas no peito.

Além de matar Géssica, o homem esfaqueou a mulher, o sogro, a sogra e o cunhado. Após o crime, correu para o mato que há na região e supostamente tentou se matar. A polícia o levou ao hospital. De lá vai para a cadeia.

Por O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *