Na tarde desta terça-feira, 15, o prefeito de Salinópolis, Paulo Henrique Gomes, se manifestou por meio das redes sociais, após o juiz Antonio Carlos Koury, titular da Vara Única da Comarca de Salinópolis, assumir posição contrária à determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), e proibir no município eventos alusivos às festas de final de ano.

Pela decisão, o magistrado proíbe tanto os órgãos estaduais quanto os municipais de licenciar shows e eventos que causem aglomeração em Salinópolis, cidade do Nordeste paraense que é uma das mais procuradas do estado na virada do ano.

Mas, segundo o prefeito, os eventos estão liberados e seguirão todos os protocolos de segurança e recomendações dos órgãos de saúde. “Não haverá fechamento da barreira na entrada do município de Salinópolis. Os casos de covid-19 estão controlados, nós sempre mantemos o hospital de campanha funcionando. Mantemos nossas 19 unidades de Saúde preparadas para atender e com certeza é uma situação estável”, disse o prefeito.

Donos de hotéis, bares e restaurantes estão preocupados com a possível suspenção de eventos e shows alusivos às festas de Natal e Réveillon em Salinópolis, nordeste paraense. “Será um grande impacto, pois, com certeza, teremos que reduzir a folha. Vai atingir o planejamento de 2021 porque nosso foco são as temporadas de julho e dezembro. Já estamos comprometidos porque temos reservas pagas, programações, então, isso vai complicar sem dúvida”, disse a empresária.  

O secretário de turismo de Salinópolis, Júlio Vieira, disse que o trabalho de prevenção à covid-19 no município foi eficaz e, ressaltou o parecer técnico da Secretaria de Saúde da cidade que liberou, de forma flexível, a realização de eventos, obedecendo as normas de segurança de saúde.

“Pra gente, como prefeitura, vai continuar do jeito que está. Os eventos que estão liberados serão sob responsabilidade dos proprietários, no entanto, estaremos fiscalizando para que não ocorra desobediência das normas de segurança. De maneira nenhuma seremos irresponsáveis para permitir eventos que desobedeçam às regras. A prefeitura em si não fará nenhum evento como costuma fazer em anos anteriores”, afirmou o secretário.

De acordo com o gestor municipal, a decisão do juiz Antonio Carlos Koury se aplica apenas a um evento que aconteceria neste mês de dezembro na cidade, e que as demais programações de fim de ano acontecerão na cidade de “maneira segura”.

Assista:

Roma News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *