Em videoconferência realizada na noite desta sexta-feira, 15, com os prefeitos dos 144 municípios do Pará, o governador Helder Barbalho detalhou o plano de vacinação contra covid-19 no Estado, que deve começar após o envio das vacinas pelo Ministério da Saúde. Segundo ele, o Pará deve receber cerca de 320 mil doses de vacina no primeiro lote, mas esse número ainda deverá ser confirmado pelo Ministério da Saúde no domingo, 17.

Nesta fase inicial a vacina será aplicada a poucos grupos prioritários, e devem ser imunizados profissionais da saúde da linha de frente, indígenas aldeados, moradores das áreas remanescentes de quilombos e idosos que, em nota a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informou serem acima de 70 anos, mas a informação oficial do Governo do Pará sobre a videoconferência com os prefeitos, diz que são idosos acima de 80 anos.

O governador explicou aos prefeitos que o estado está em contato com o Ministério da Saúde para obter a conformação das datas de chegada das vacinas. A previsão inicial é que no domingo, após a reunião com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Ministério da Saúde deva iniciar a distribuição aos Estados. “A partir daí, já estamos com nossa logística preparada para fazer a distribuição para as regionais. A ideia é que os municípios possam ir até a sua regional e apanhar sua cota, para fazer chegar à sua cidade”, explicou o governador.

Aquisição de insumos – Durante a reunião, Helder Barbalho também destacou que o Estado já disponibilizou aos municípios seis milhões de agulhas e seringas, além de isopores, para auxiliar no plano de vacinação. Ele adiantou ainda que além das vacinas os municípios vão receber material informativo sobre a importância da imunização.

Leitos – Ainda na videoconferência, Helder Barbalho destacou que o Pará está ampliando leitos de UTIs em todas as regiões, especialmente no Baixo Amazonas e Tapajós (no oeste e sudoeste do território paraense) a partir deste sábado, 16, totalizando na região 90 leitos de UTI e 34 leitos clínicos em municípios como Itaituba, hoje com 30 leitos de UTI e 54 clínicos, e com a mudança passa a ter 60 leitos de UTI e 24 clínicos; Santarém passará de 16 leitos para 20 leitos de UTI, e cinco leitos clínicos exclusivos no Hospital Regional do Baixo Amazonas, enquanto Juruti terá mais 10 leitos de UTI e cinco leitos clínicos.

Roma News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *