“Quando entrei em casa para deixar a sacola, ele pulou em cima de mim, já me furando, eu caí, e ele continuou me furando”. Assim começa o relato de Zildeane Silva Santos, 35 anos, que foi agredida pelo ex-companheiro, Izael Pereira dos Santos, 29 anos, no dia 4 deste mês, no Bairro Betânia, em Parauapebas.

Ela narra que travou uma verdadeira luta pela sobrevivência, já que foi surpreendida pelo agressor, sendo atingida nos braços, mãos, costas e abdome. Como era noite, e as luzes estavam apagadas, ela não conseguiu ver o tamanho da faca que ele utilizou, mas, durante a luta corporal conseguiu tomar o objeto das mãos dele e “jogar para longe”.

Zildeane disse ainda que, após o ex-companheiro perder a faca, ele pegou uma pedra no chão, começando a bater na cabeça e no pescoço dela. “Enquanto ele me batia dizia que eu tinha acabado com a vida dele, e que aquilo era só um aviso”.

Ela quase teve o pulso decepado ao tentar se defender o agressor

Izael foi embora, deixando Zildeane ensanguentada no chão, momento que ela começou a suplicar por socorro, até ser atendida por um vizinho que a levou de moto ao hospital. Permanecendo nove dias internada, onde passou por cirurgia após ter o estômago perfurado.

A noite daquela terça-feira, no dia 4, marcou completamente a vida de Zildeane, era um dia alegre, ela estava chegando em casa as 21h30, após um passeio em uma fazenda. O intuito era deixar as sacolas em casa, e ir na vizinha buscar a filha, fruto de outro relacionamento.

Hoje, ela está em outro endereço, e vive com medo que o ex volte para cumprir o prometido, mas, acredita que a justiça será feita, para que ele pague o que fez a ela. O Boletim de Ocorrência (B.O) foi realizado de forma online, na Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (Deam).

O relacionamento durou cinco anos, mas, há dois já não estavam mais juntos. Sendo Izael o responsável por colocar um ponto final na união, justificando que não acreditava nela. Um convívio marcado por ciúmes, como relata a vítima. “Uma vez chegou a me agredir por ciúmes, sempre foi doente de ciúmes, falava que se pudesse me trancar no quarto, ele faria”.

A pouco mais de um mês, Izael a procurou, pedindo para voltar, alegando que havia mudado, no entanto, Zildeane recusou, por não querer mais viver como antes.

Como o seu estado de saúde ainda requer cuidados, os planos de um futuro próximo é morar no estado do Maranhão, onde vivem os pais.

Por: Correio de Carajás

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.