Um levantamento realizado pelo Observatório da Mineração mostra que, desde 2008, 333 trabalhadores foram resgatados em garimpos no Brasil em condições análogas à escravidão. 

Ao todo foram 31 operações que tiveram garimpos como foco nos últimos 13 anos. A extensão desses resgates nunca havia sido revelada antes. O Pará é o estado campeão com larga margem, com 12 operações.Nos garimpos, é o ouro que lidera a incidência de casos assim, seguido da extração de pedras preciosas, caulim, gesso e estanho.

Os trabalhadores são encontrados em condições precárias, sem instalações adequadas para alojamento, sem banheiros, consumindo água contaminada, com alimentação improvisada, sem equipamento de proteção, em jornadas exaustivas, sem vínculo formal e, não raro, submetidos a dívidas acumuladas com o dono do garimpo, situações que configuram trabalho análogo à escravidão.

Por Roma News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *