| Reprodução/ DOL

Taí uma notícia que só de a gente ler já fica com água na boca – e não é difícil compreender o porquê, afinal falar de maniçoba e pato no tucupi aguça os sentidos de qualquer pessoa, pois irá lembrar dos cheiros, sabores e das cores destes pratos típicos que fazem parte da identidade e da cultura paraense.

 A maniçoba agora é patrimônio cultural de natureza imaterial | ( Reprodução Internet )

Por falar em paraenses, a partir desta segunda-feira (6), eles tem mais um motivo para se orgulhar destas iguarias. A maniçoba e o pato no tucupi se tornaram oficialmente patrimônio cultural de natureza imaterial do Estado.

O governador Helder Barbalho (MDB) sancionou as leis que tombam estes pratos típicos, que não mais que sabor, representam os saberes do homem amazônida. As regulamentações foram publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE) de hoje (6).

A maniçoba se tornou patrimônio cultural de natureza imaterial pela lei nº 9.601/2022, aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), no último dia 10 de maio. Já o pato no tucupi, é patrimônio imaterial e cultural por meio da lei estadual nº 9.606/2022.

 O pato no tucupi é um dos pratos muito apreciados no almoço do Círio de Nazaré | ( Reprodução Internet )

Tanto um com outro são pratos que costumam estar presentes no almoço de Círio, no segundo domingo de Outubro. No entanto, os paraenses não precisam esperar até lá para se deliciar com a maniçoba. Em Belém, em várias esquinas há vendedoras tradicionais de comidas típicas. É só percorrer algumas ruas para sentir o cheiro e parar para apreciar o cardápio.

Reprodução

Por: Diário Online

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.