A menina de 13 anos que foi abusada e engravidou do próprio pai não poderá interromper a gravidez. A decisão foi da Justiça de Santarém, no oeste do Pará, que não autorizou o procedimento, inviabilizado por conta do período gestacional avançado. O pedido de interrupção foi feito pela família da vítima e polícia.

De acordo com a 14ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude, ao ser informado por meio de laudo médico, sobre o avançado estágio da gravidez, o Ministério Público do Pará (MPPA) encaminhou medida de proteção para a vítima, para que seja devidamente assistida via rede de proteção.

O pai da adolescente foi preso no dia 21 de setembro, após investigação policial. De acordo com a Polícia, familiares da menina fizeram uma denúncia dia antes, após perceberem a barriga da vítima. A vítima passou por uma escuta especializada e relatou que o pai abusava dela desde os 10 anos de idade.

O pai convivia na mesma casa com a filha desde o nascimento. A companheira informou em depoimento à polícia que o pai teria confessado que violentava a filha e que ela estaria grávida.

Por Roma News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *