Uma tragédia ocorreu na noite deste sábado, dia 22, no Rio Tocantins, em Marabá. Por volta de 20h30, uma moto aquática em alta velocidade bateu em uma lancha tipo voadeira, matando o seu condutor, Valdicleison Lopes de Oliveira, de 31 anos de idade.

O acidente ocorreu às proximidades da Colônia de Pescadores Z-30, onde há um porto bastante movimentado aos finais de semana, principalmente entre pessoas que ficam acampadas na praia.

Situação em que ficou a voadeira, pilotada por Glecy, com timão quebrado e carcaça do motor arrebentada.

Rogério Barbosa de Brito, cunhado do piloto da voadeira, contou que Glecy vinha da praia juntamente com outras três pessoas para trancar seu carro, que estava na Orla. Mais ou menos no meio do rio, a moto náutica apareceu e bateu na cabeça de Glecy, tendo a cena sido presenciada por rabeteiros que passavam às proximidades. “A voadeira tinha sinalização, mas o cara do jet ski apareceu do nada e passou por cima da voadeira, batendo na cabeça do meu primo, que morreu. Depois, o responsável desapareceu”, contou Rogério ainda na orla, em tom de desolação.

Segundo ele, Glecy morava no Bairro Novo Horizonte e trabalhava como protético. Deixou viúva e dois filhos órfãos. Ainda de acordo com o primo, Glecy havia recebido parentes do Maranhão em sua casa e resolveu passar o final de semana com eles acampado na Praia do Tucunaré. “A tragédia aconteceu e abalou toda a nossa família”, disse o primo, que clama por prudência aos pilotos de embarcações em Marabá, que na visão dele não deveriam beber e dirigir.

A Polícia Militar chegou à margem do Rio, na Orla, para acompanhar a situação e pegar as primeiras informações sobre o acidente.

O cabo R. Souza, da Polícia Militar, informou que sua equipe foi acionada por volta de 21 horas e, ao chegar ao local, uma viatura do SAMU já estava atendendo outras duas vítimas do acidente, que sobreviveram.

Por: Correio De Carajás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *