Reprodução/ O Liberal

A intervenção em um caso de violência doméstica terminou de maneira trágica para Eduardo Cavalcante Silva. Ele foi esfaqueado e morto a facadas, após tentar apartar uma “briga de casal” na cidade de Curionópolis, no sudeste paraense. O crime ocorreu na noite da última segunda-feira (23), no bairro da Paz. A vítima foi uma das testemunhas das agressões que Francisca Elizabete Rocha, conhecida como Beth, sofreu do marido Weden Araújo Oliveira, popularmente chamado de “Nego Éder”.

De acordo com o portal Correio de Carajás, a mulher estava em um bar na companhia do marido quando, em determinado momento, o casal se desentendeu. Weden deu um tapa no rosto de Beth e a situação indignou Eduardo, que interferiu e ordenou que o agressor parasse com a violência.

Testemunhas dizem que Beth foi embora para outro local, enquanto o companheiro e a vítima começaram a discutir. Logo em seguida, Nego Éder esfaqueou o homem, que não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Ao ver a cena,

Antônio Luis Alves dos Santos, conhecido como “Cabinha”, tentou interromper a ação criminosa, mas também foi esfaqueado. Ele, entretanto, conseguiu escapar com vida e foi encaminhado para o Hospital Municipal de Curionópolis. O estado de saúde é delicado.

A Polícia Militar foi acionada, mas Weden já havia deixado o local do crime quando os militares chegaram. Um investigador da Polícia Civil foi até o bar para apurar as informações preliminares e o acusado foi localizado e encaminhado para a Delegacia do município, onde foi autuado em flagrante.

Reponsável pelo caso, o delegado José Euclides Aquino detalhou que Weden vai responder por homicídio doloso e tentativa de homicídio, além de violência doméstica, no âmbito da lei Maria da Penha.

Por: O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *