(Foto: Cláudio Santos/Agência Pará)
(Foto: Cláudio Santos/Agência Pará)
(Foto: Cláudio Santos/Agência Pará)

Aproximadamente R$ 141.232 por mês. Este é o custo de cada deputado estadual do Pará aos cofres públicos, segundo um relatório apresentado nesta semana pela ONG Transparência Brasil.

Um valor alto, mesmo quando comparado com o resto do país. Segundo o estudo, o Pará tem o sétimo custo por deputado mais alto do Brasil.

O estudo avalia desde o valor dos salários – que tem teto de R$ 25.322, mas em alguns estados chega a ultrapassar este valor – quanto aos gastos com gratificações, funcionários, auxílios e verbas indenizatória, usada para pagar contas de escritórios, passagens aéreas e aluguel de veículos.

Veja os detalhes dos custos

No caso do Pará, além do salário, que chega ao topo de R$ 25.322, os deputados recebem verba indenizatória de R$ 35 mil, outras verbas de R$ 10.910, além de R$ 71.232 para gasto pessoal e R$ 70 mil de verba de gabinete, para a contratação de assessores.

O relatório da ONG ainda afirma que chama a atenção a dificuldade de acesso às informações no Estado, pois no site da Assembleia Legislativa “não é possível nem mesmo saber quem são os deputados estaduais da atual legislatura.”

A ONG ainda afirma que o local em que os deputados tem o maior “custo” é o Distrito Federal, com o valor de R$ 223.787 por deputado, seguido do Rio de Janeiro (R$ 200.003), São Paulo (R$ 184.822) e Bahia (R$ 160.391).

O relatório ainda chama a atenção pelo fato de, em alguns locais, os gastos com os deputados estaduais serem maiores que os com os deputados federais. No Distrito Federal, por exemplo, a verba de gabinete é de R$ 173,2 mil, quase o dobro a dos federais, que tem teto de R$ 92 mil.

 

(DOL com informações do Exame)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *