Foto: Divulgação

Na sexta-feira (10), em São Sebastião da Boa Vista, no Marajó, três homens da mesma família foram presos preventivamente, acusados de praticar uma série de abusos sexuais contra uma criança de 6 anos, moradora de Vila Estância – Rio Pracuuba Grande, zona rural do município. Os presos serão transferidos para Belém, devendo chegar à capital do estado na quarta-feira (15).

O caso chegou ao conhecimento da Delegacia de São Sebastião da Boa Vista na quarta-feira, dia 8 de junho, por meio de informação repassada pelo Conselho Tutelar do Município. De acordo com o boletim registrado na delegacia, a criança, de 6 anos de idade, teria sido vítima de abuso sexual praticado por seu padrasto, Mizael Rodrigues Pereira, o tio dele Adonaide do Socorro Rodrigues e o avô do padrasto, Raimundo Maurício Ferreira.

O delegado Jorge David Carvalho, que atendeu o caso e solicitou a prisão preventiva dos acusados, contou que os abusos vieram à tona quando a criança contou para sua mãe, uma jovem de 23 anos, tudo o que vinha acontecendo. “Como é uma comunidade de interior e as pessoas têm muito pouca instrução sobre como proceder nesses casos, a primeira reação da mãe foi pegar os filhos e sair de casa, vindo para a cidade. Uma viagem de cerca de quatro horas. Ela foi até a casa de uma amiga, que achou estranha toda aquela situação”.

O delegado relata que a criança, que sofria abusos, em algum momento, contou à amiga de sua mãe o motivo pelo qual a família havia saído de casa. “Essa amiga, mais instruída, identificou que aquilo estava errado e convenceu a mãe a procurar o Conselho Tutelar, que nos encaminhou a denúncia”, informa o delegado Jorge Carvalho.

Como aconteciam os abusos

Ao ser atendida pelo Conselho Tutelar, a criança descreveu como os abusadores agiam. No registro da ocorrência é relatado que o padrasto, Mizael Rodrigues Pereira, a pretexto de ajudar a criança em suas tarefas da escola, pedia para que ela ficasse do seu lado e colocasse um vestido, momento em que praticava os atos libidinosos. Em outras ocasiões, ele falava para a criança tirar o short para dormir mais confortável e novamente praticava o estupro.

O tio de Mizael, Adonaide do Socorro Rodrigues, se aproveitava do fato de ser a única pessoa da vila cuja residência tinha um aparelho de TV para convencer a criança a se deitar com ele na rede e assistir televisão, ocasião em que cometia os abusos. Já o avô de Mizael, Raimundo Maurício Ferreira, oferecia bombons e dinheiro e nesse momento praticava os atos libidinosos.

O delegado Jorge Carvalho informou que os estupros aconteciam nos momentos em que a mãe estava fazendo tarefas domésticas. A mãe estranhava o comportamento da criança, que aparecia chorando, mas a menina não contava o que acontecia, porque o acusado, Mizael, ameaçava lhe dar uma surra de cipó caso falasse alguma coisa.

“Essa era a única criança do sexo feminino na casa. A mãe dela tem outros dois filhos com o acusado, que são meninos, e tem outro menino de um relacionamento anterior, que é irmão direto da vítima. Então, o padrasto e os outros homens abusavam da menina que não era parente de sangue deles”, explica o delegado.

Acusados cometeram abuso contra outras pessoas da localidade

O delegado Jorge Carvalho conta que a prisão preventiva dos acusados foi solicitada no mesmo dia em que a denúncia foi feita e que, dois dias depois, na sexta-feira (10), o juiz da Comarca de São Sebastião da Boa Vista deferiu o pedido – quando o mandado de prisão foi cumprido. Durante o interrogatório dos suspeitos confessaram o crime e ainda chegaram a relatar a prática de outros abusos.

“Eles foram presos, foram interrogados. Os três confirmaram tudo que havia sido relatado, sendo que o Adonaide Rodrigues, tio do padrasto, e o avô dele, Raimundo Ferreira, confirmaram que cometiam o crime contra outras crianças da família deles”, conta o delegado.

Segundo Jorge Carvalho, Adonais Rodrigues abusava da própria sobrinha e Raimundo Ferreira abusava da neta. “Além disso, assim que eles foram presos, uma mulher já adulta, que residia na mesma vila, procurou a delegacia para informar que, quando ela era criança, também tinha sido abusada por Raimundo Rodrigues”. O delegado afirma que, para os outros casos, novos inquéritos deverão ser abertos.

Presos serão transferidos para Belém

O delegado Jorge Carvalho informou que os três acusados seguem presos na Delegacia de São Sebastião da Boa Vista e devem ser transferidos para um estabelecimento penal adequado, em Belém. A viagem deve começar na próxima terça-feira (14) e os acusados devem chegar na quarta (15).

Todos os três vão responder por estupro de vulnerável, crime que descreve a prática de conjunção carnal ou outro ato libidinoso com menor de 14 anos, sob pena de reclusão de 8 a 15 anos. Entretanto, ainda não é possível estimar a pena que será imputada aos acusados: “É o que a gente chama de crime continuado, então o tempo de prisão vai depender da avaliação do juiz”, avalia o delegado.

A criança, vítima dos abusadores, está recebendo atendimento psicológico e de assistência social por meio de uma unidade do ParáPaz no município de São Sebastião da Boa Vista. Ela, a mãe e os irmãos não retornaram para a casa na Vila Estância – Rio Pracuuba Grande.

Por: O Liberal

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.