O relatório da evolução da pandemia do novo coronavírus compilado pela Divisão de Vigilância Sanitária de Marabá (Divisa) revela que o município está conseguindo manter a estabilização na curva de novos casos confirmados e de óbitos por covid-19. Os dados foram analisados do dia 23 de março até 1º de agosto.

De acordo com os gráficos, os meses de maio e junho registraram o maior número de casos confirmados da doença. O aumento nas estatísticas também se deu por conta da realização de testes rápidos em grande escala. O estudo mostra que o momento mais crítico da doença no município aconteceu entre os dias 05 de maio e 05 de junho, quando foram registrados 90 óbitos. Após esse período, embora tenham surgido mais casos da doença, houve declínio no número de mortes, inclusive devido à implantação de medidas como as centrais de testagem, de entrega de medicamentos e ampliação dos pontos de atendimentos dos casos suspeitos de covid-19.

Os primeiros 04 casos da doença em Marabá foram registrados entre os dias 22 a 28 de março. Já de 29 de março a 11 de abril, houve mais três confirmações. Nos 12 a 18 de abril, apareceram mais 11 novos casos e as duas primeiras mortes. Entre 19 de abril a 02 de maio, surgiram 81 novos casos e 07 óbitos. No período de 03 de maio a 06 de junho, houve uma escalada de confirmações, com 2005 casos e 104 mortes. A semana com mais registros de pacientes foi de 07 a 13 de junho com 1155 casos e oito mortes. Posteriormente, entre 14 de junho a 04 de julho, registrou-se 1534 casos e 25 mortes, e de 05 de julho a 1º de agosto, 1024 casos e 16 óbitos.

Segundo Daniel Soares, coordenador da DIVISA, as estatísticas estão sendo monitoradas quinzenalmente, em parceria com a Vigilância Epidemiológica, e os dados são repassados ao comitê gestor de enfrentamento ao novo coronavírus no município. As informações subsidiam a tomada de novas medidas a serem impostas a partir das avaliações. “Vamos trilhar esse caminho com responsabilidade, analisando os dados, todos indicadores para que possamos continuar nesse avanço”, declara.

ORIENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

Daniel enfatiza que a pandemia está sendo acompanhada e combatida pela vigilância sanitária desde o registro do primeiro caso do novo coronavírus na cidade, quando a prefeitura adotou as primeiras medidas preventivas e de segurança, com suspensão das aulas nas redes pública e particular e o fechamento do comércio, tendo sido reaberto gradativamente.

O coordenador aponta que tanto o comércio, que vem fazendo sua parte na realização das medidas preventivas, quanto à população não pode descuidar, embora haja estabilização dos casos, o vírus ainda circula na cidade. “O comerciante tem feito a parte dele, mas a população nem tanto. Estão deixando a desejar no uso das máscaras. A doença ainda existe, está circulando na cidade. A gente precisa continuar tomando todos os cuidados, usando as máscaras, higienizando as mãos, cuidando dos nossos idosos”, alerta Daniel.

Por Correio de Carajás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *