Campanha de vacinação para imunizar grupos de risco contra o vírus começam no final abril. (Foto: Reprodução/Arquivo TV Gazeta)
Campanha de vacinação para imunizar grupos de risco contra o vírus começam no final abril. (Foto: Reprodução/Arquivo TV Gazeta)
Campanha de vacinação para imunizar grupos de
risco contra o vírus começam no final abril.
(Foto: Reprodução/Arquivo TV Gazeta)

A preocupação com a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) está em evidência no Pará com a intensificação das chuvas do inverno amazônico. De acordo com Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) de Belém, foram notificados 16 casos de SRAG, sendo confirmados dois casos de Influenza A/H1N1 e uma ocorrência de metapneumovirus, somente no primeiro trimestre de 2016.

Segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado, em 2015 foram registrados 186 casos de SRAG, sendo 12 de Influenza-H1N1, foram 20 óbitos notificados.

A notificação de SRAG é obrigatória e deve ser feita mesmo com suspeita da doença. “A partir do momento que recebemos a notificação, a equipe de Vigilância Epidemiológica aciona o Laboratório Central (Lacen) para a coleta de secreção, que é encaminhada ao Instituto Evandro Chagas para análise e pesquisa de vírus, entre os quais pode estar o vírus H1N1”, explica a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde da Sesma, Leila Flores.




Cuidados
A infectologista Vania Brilhante alerta para os sintomas da infecção do vírus. “O H1N1, como vírus influeza, pode desencadear desde um quadro leve gripal até uma SRAG. Já a síndrome tem caráter agudo com sintomas graves de febre, tosse e dispneia, acompanhada de aumento da frequência respiratória e hipotensão em relação à pressão arterial habitual do paciente”, explica.

O vírus pode ser agravado com pacientes que podem ter complicações em relação à doença, como idosos, crianças, portadores de doenças crônicas e grávidas. “Dependendo do paciente a infecção pode sim levar a morte. O perigo é a transmissão fácil que tornam alguns pacientes alvos fáceis e com desenvolvimento rápido para SRAG”, completa.

O vírus Influenza A/H1N1 circula no Brasil desde a pandemia de 2009. O Ministério da Saúde realiza anualmente Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe, que em 2016 iniciará no final de abril. A vacina imuniza contra os principais vírus gripais que circulam no país e é voltada para grupos de risco.

Prevenção
É importante tomar algumas medidas para prevenir a contaminação com o vírus:

  • Frequente higienização das mãos;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Evitar tocar superfícies com luvas ou outro EPI contaminados, ou com mãos contaminadas.

 

Via G1 PA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *