Imagens tiradas das câmeras nas roupas dos seguranças da empresa (foto: divulgação Agropalma)

A Agropalma registrou, neste fim de semana, mais uma invasão em uma de suas áreas de preservação permanente (APP) no Pará. Os invasores estavam dentro da Fazenda do Trevo, no município de Acará, no último sábado, dia 30.

Segundo a companhia, os invasores aproveitaram o período da troca de vigias para adentrar ao terreno, se passando por pescadores.

Imagens registradas por câmeras nos uniformes dos seguranças da firma, mostram homens, canoas e tendas já erguidas dentro da mata, ao lado de um rio (fotos abaixo).

Uma denúncia anônima fez com que a empresa chegasse ao local e encontrasse pessoas não autorizadas montando acompanhamento. Os populares foram retirados da propriedade da Agropalma, sem qualquer tipo de violência, de forma pacífica, afirmou em comunicado a produtora de óleo de palma.

Dias antes, em outro local, a Agropalma identificou demarcações de terras em suas áreas, sinais do desenho de uma estratégia de invasão, além de destruição de vegetação nativa. Na ocasião, as marcações foram desfeitas pela empresa.  

Em março deste ano cerca de 70 remanescentes quilombo ocuparam uma área na antiga comunidade Nossa Senhora da Batalha, entre Acará e Tailândia. Após um acordo judicial firmado em audiência, eles deixaram o local.

A companhia ressalta que segue trabalhando na conservação de suas áreas, assim como na preservação de áreas florestais em suas terras, e que vem contribuindo com o desenvolvimento do Estado do Pará.

Por fim, a Agropalma repudiou a disseminação de notícias falsas envolvendo seu nome. Segundo ela, a “empresa mantém uma relação transparente com a imprensa e valoriza o jornalismo sério, fundamental para a sociedade brasileira“. Disse ainda, que se coloca à disposição para que os profissionais da mídia entrem em contato para qualquer esclarecimento sobre a sua atuação.

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.