Quilombolas realizam limpeza de cemitério que fica dentro de área controlada pela Agropalma no Pará, em outubro de 2021. — Foto: Reprodução / Associação dos Remanescentes de Quilombos Comunidade da Balsa, Turiaçu, Gonçalves e Vila Palmares do Vale do Acará

Os cerca de 70 remanescentes quilombo que ocupavam uma área na antiga comunidade Nossa Senhora da Batalha, deixaram o local. Desde o último dia 28, o local está totalmente liberado e a posse das terras foi retomada pela Agropalma.

A área em questão fica localizada a 12 quilômetros do distrito Palmares, na divisa entre Acará e Tailândia, no nordeste do Pará, na região onde existe um antigo cemitério, às margens do rio Acará.

LEIA TAMBÉM

> Em audiência, Agropalma e quilombolas firmam acordo sobre terra invadida
> Agropalma divulga nota sobre ocupação de antigo cemitério ribeirinho

A saída dos quilombolas faz parte do cumprimento de um acordo firmado em audiência de conciliação no último dia 17/2.

Em nota, a Agropalma informou que segue permitindo o livre acesso ao referido local, como já fazia anteriormente, garantindo a segurança de todos os envolvidos. Além disso, a empresa reforça que segue trabalhando para atender os demais itens estabelecidos no acordo judicial do processo sobre a invasão de suas terras.

Até o dia 25 do mês passado, a companhia, que é a maior produtora de óleo de palma sustentável das Américas, já tinha fechado a vala ao lado do cemitério às margens do rio Acará. Esse era um dos itens do acordo firmado entre a empresa e os quilombolas.

Agropalma fecha vala ao lado do cemitério às margens do rio Acará. (foto: Agropalma)
Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.