Em uma época não muito distante, as operações comerciais eram feitas apenas em espaços físicos.  Hoje, a internet conseguiu adentrar neste nicho e oferece um leque de facilidades para quem está disposto a efetuar compras pela Web. O formato eletrônico realmente veio para facilitar as comercializações e a evolução da tecnologia da informação foi um grande contribuinte para resultados que podemos acompanhar diariamente sobre a indústria do e-commerce.

Reprodução

Com o aumento dos dispositivos móveis e das mídias sociais, novas oportunidades foram oferecidas aos varejistas. Ano a ano é possível comparar toda essa cadeia evolutiva e o rápido crescimento notório através dos lucros.  Ao comparar o faturamento de grandes players de cinco anos atrás até os dias atuais, é surpreendente a mudança dos valores.

Mercado brasileiro

Mas e no Brasil? Como está a situação do e-commerce por aqui? Os estudos e pesquisas estão aí para comprovar que o exponencial crescimento do comércio eletrônico também atingiu nosso mercado. De acordo com dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2011, o comércio eletrônico ocupou cerca de 33% do varejo nacional. Geralmente esse tipo de pesquisa é feita com as principais empresas, nacionais e multinacionais, de diferentes segmentos e atuações.

Isso comprova mais uma vez que os brasileiros passaram a utilizar os meios eletrônicos de forma mais concreta e atrelada aos negócios. Um estudo realizado durante um mestrado, também na FGV, apresenta o perfil dos consumidores que realizam compras online. Foi apresentado o comércio eletrônico brasileiro como um todo e dentre os conceitos abordados, foram levantados itens para estabilizar efetivamente esse tipo de comercialização no Brasil. A conclusão foi de que os brasileiros ainda se portam com resistência pelo medo do desconhecido e dificuldades de acesso à rede, através de uma conexão em banda larga, além de serem exigentes e precisarem de estímulos diferentes para comprar, mesmo que impulsivamente.

Já o posicionamento da Secretaria da Receita Federal sobre o Brasil e o comércio eletrônico, de acordo com edital disponível no próprio site, é de que para o correto funcionamento desse cenário é necessário mudanças também no mundo jurídico, principalmente na área tributária, para controle e fiscalização de tributos.

olhar digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *