Cerca de 2 mil trabalhadores devem aderir ao movimento que começa hoje, 16.
Sindicato reivindica cumprimento de acordo de participação nos lucros.

Trabalhadores da Celpa entraram em greve a partir desta terça-feira (16). Cerca de 2 mil funcionários devem aderir ao movimento, que reivindica o cumprimento de um acordo coletivo de trabalho, que previa o pagamento correspondente a participação nos lucros e resultados. Durante esta manhã, membros do Sindicato dos Urbanitários se reúnem na sede da empresa em Belém.

Segundo o presidente do Sindicato dos Urbanitários do Pará, Ronaldo Romeiro, houve uma negociação com a direção da Celpa, que ficou de pagar a antecipação, no valor de R$ 1.500, mas não cumpriu o acordo. Ainda segundo Ronaldo, todos os trabalhadores do grupo Rede em outros estados, mesmo sob intervenção, receberam o benefício.

Apesar de deflagrada greve, Ronaldo explica que a população não será prejudicada. “É uma paralisação forte, mas vamos manter os serviços essenciais. Não vamos prejudicar a população”, afirmou o presidente do sindicato.

Segundo MPF, Celpa é a pior concessionária de energia do Brasil em 2012 (Foto: Shirley Penaforte / Amazônia Jornal)

Serviços essenciais serão mantidos, diz sindicato.
(Foto: Shirley Penaforte / Amazônia Jornal)

Na última quinta (11), os trabalhadores fizeram uma paralisação por 24h. Em nota, a Celpa informou que propôs medida judicial para garantir a abertura dos portões e o acesso dos empregados da empresa, terceiros e consumidores.

Segundo a Celpa, a decisão liminar da Desembargadora Federal do Trabalho Francisca Oliveira Formigosa, concedida na segunda (15), pede que sejam dissolvidos quaisquer bloqueios nas vias de aceso à empresa e que o sindicato mantenha 70% (setenta por cento) das atividades em todos os setores da empresa. Em caso de descumprimento, a multa diária será de R$100 mil.

 

g1 pará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.