O Pará se destaca como a última fronteira agrícola do País no momento em que grandes empresários buscam no Norte.

Potencial agrícola do Pará só aumenta
Potencial agrícola do Pará só aumenta

O Pará se destaca como a última fronteira agrícola do País no momento em que grandes empresários buscam no Norte, novas alternativas de investimento para expansão de seus negócios. “Quem não olhar para essa região está fora do jogo”, disse o presidente da Cargill Agrícola S.A., Luiz Pretti, em entrevista à revista Dinheiro Rural. É nesse panorama favorável que o Estado se prepara para receber os novos projetos econômicos que prometem mudar a realidade não só do meio rural paraense, mas de todo o Norte brasileiro.

A secretária adjunta da Secretaria Estadual de Agricultura, Eliana Zacca, considera que o Estado tem todas as vantagens para atrair os investidores, como as condições naturais de solo, clima, umidade e chuva, capazes de proporcionar até duas safras de grãos por ano. “O Pará será o novo mercado brasileiro e várias empresas têm buscado informações para seus planos de instalação no Estado, algumas na área de fertilizantes e de processamento de amêndoas de cacau para a produção de chocolate, como é o caso da Cargill, que já atua em Santarém, Oeste do Estado, na produção de soja. Essas empresas vão favorecer a verticalização da produção e aumentar a oferta de empregos”, informou a secretária, que falou também das principais realizações da Sagri em 2013.

A produção agrícola do Pará cresceu em torno de 9% em relação ao ano de 2012, especialmente no setor de grãos. O destaque foi para o milho que cresceu 553%, seguido do feijão com 59% e a soja 36%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O plantio avança aproveitando antigas pastagens ou áreas degradadas que são reincorporadas ao processo produtivo e mantendo as florestas intactas. O asfaltamento da BR-163 (Santarém-Cuiabá) vai transformar a rodovia na nova rota de escoamento da produção do Norte e Centro-Oeste do País e esse é um importante fator de atração de investimentos para a região.

Outra cultura importante que teve crescimento significativo no ano passado foi o cacau, com quase 19%. A cacauicultura é um dos projetos prioritários da Sagri, cujo programa é executado em parceria com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), com aplicação de recursos do Fundo de Desenvolvimento da Cacauicultura do Pará (Funcacau). Com o crescimento anual de 13% da área plantada e de 10% na produção de amêndoa, o foco do programa em 2013 foi o melhoramento da qualidade das amêndoas e estímulo ao seu processamento e verticalização. Como consequência desses bons resultados está sendo instalada uma fábrica de chocolate no município de Santa Bárbara do Pará, que deve começar a funcionar em março deste ano, além de projeto para a instalação de uma segunda unidade industrial, em fase de negociação.

Ainda no segmento da fruticultura, outra ação importante foi a intensificação da melhoria da qualidade do açaí. A Sagri e as Secretarias Estadual de Saúde (Sespa) e Municipal de Saúde (Sesma) e a Associação dos Vendedores Artesanais de Açaí (Avabel) capacitaram 633 batedores da Região Metropolitana de Belém no curso de Boas Práticas de Manipulação e Uso do Branqueador. Esse equipamento elimina 90% das impurezas do açaí durante o processamento. Para incentivar o uso do branqueador, a Sagri adquiriu e repassou em regime de cessão de uso aos batedores, cem unidades do equipamento. A entrega foi durante o I Festival do Açaí Saudável realizado na Estação das Docas, em dezembro.

No objetivo estratégico de incorporar novas tecnologias ao sistema produtivo local, foi realizado pela primeira vez no Pará o Circuito Feicorte, evento que percorre os principais polos de produção pecuária do País, levando informações e tecnologia para os produtores por meio de workshops. A etapa do Pará, realizada em novembro no município de Paragominas, teve 671 participantes de 28 cidades paraenses e de mais cinco Estados, 60% eram criadores de gado. O Programa Progenética realizou a II Feira do Gado Leiteiro que comercializou 373 bezerras Girolanda, com um volume de negócios da ordem de R$ 1,16 milhão. O Progenética incentiva o melhoramento do rebanho de gado de corte e leite por meio da comercialização de animais de boa genética aos criadores. No total, a Sagri apoiou em 2013, a realização de 20 feiras agropecuárias com recursos de R$ 1.225,800, mediante convênios.

No Programa de Desenvolvimento da Agropecuária se inclui o Projeto Queijo do Marajó, que teve concluída a elaboração do protocolo de produção com a parceria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequena Empresas (Sebrae). O protocolo vai viabilizar o selo de indicação de origem do queijo do Marajó. Por meio desse trabalho três queijarias marajoaras foram legalizadas e já podem comercializar o produto em lojas e supermercados de todo o Estado.

O I Festival Internacional do Chocolate e Cacau da Amazônia foi outra importante realização da Sagri no ano de 2013, em parceria com o Sebrae, Ceplac e Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa). Em conjunto com o Flor Pará, que demonstra o potencial da floricultura paraense, o festival atraiu 22 mil pessoas ao Hangar Centro de Convenções da Amazônia, com a proposta de divulgar as novidades do chocolate brasileiro, promover a gastronomia e o Pará como destino turístico. O Festival do Chocolate e Flor Pará 2014 serão realizados de 3 a 6 de abril, no Hangar.

[divide style=”2″]

Via, Agência Pará

Para acompanhar mais notícias de Tailândia, Curta o Portal Tailândia no Facebook facebook.com/portaltailandia.com.br. Siga também o Portal Tailândia no Twitter e por RSS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.