Marina Silva em cerimônia de filiação ao PSB (Foto: Ueslei Marcelino / Reuters)
Marina Silva em cerimônia de filiação ao PSB (Foto: Ueslei Marcelino / Reuters)
Marina Silva em cerimônia de filiação ao PSB (Foto: Ueslei Marcelino / Reuters)
A cúpula sonhática – a ex-senadora Marina Silva, o deputado Walter Feldman (SP), Pedro Ivo de Souza Batista (um dos coordenadores da Rede no DF) e o deputado Alfredo Sirkis (RJ) – assinou a filiação ao PSB. Fiel ao seu estilo um tanto ambíguo, Marina afirmou total apoio à candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à Presidência da República, sem confirmar se seria sua vice. Disse que tudo depende de uma decisão da Rede, partido que, como se sabe, não existe oficialmente. Aliás, na própria cerimônia de adesão, Marina Silva considerou a filiação “simbólica” e temporária. E, à guisa de justificativa, falou que as outras possibilidades após a negação do registro da Rede seriam “virar uma candidata da internet” ou “entrar em uma legenda de aluguel“.

O gesto é um tanto desconcertante. Afinal, na última pesquisa Datafolha para as Eleições 2014, Marina surfa com 26% das intenções de voto, enquanto Campos aparece com 8%. Nesta mesma pesquisa, a presidente Dilma Rousseff tem 35% dos votos e Aécio Neves 13%. Seria um indicativo de que Eduardo Campos não será candidato e ela o substituirá? Vamos Conferir!

Isso aqui não é Marina entrando num partido para participar da eleição. É Marina entrando num partido para chancelar o programa da Rede Sustentabilidade e, na discussão democrática, adensar o programa de candidatura que já está posta” (Marina Silva, durante discurso em evento de filiação ao PSB).

Não queremos reduzir debate entre Rede e PSB, queremos debate com a sociedade, e vamos no tempo certo tomar as decisões” (Eduardo Campos, ao responder se quer Marina como vice).

Com informações, Blog da Franssinete Florenzano
Para acompanhar mais notícias do Brasil, Curta o Portal Tailândia no Facebook facebook.com/portaltailandia.com.br. Siga também o Portal Tailândia no Twitter e por RSS.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.