Lázaro Barbosa estava em fuga há 20 dias. (foto: reprodução)

Foram 20 dias de uma corrida insana, com mais de 270 policiais trabalhando incansavelmente para capturar Lázaro Barbosa, de 32 anos, suspeito de ter cometido uma chacina na cidade de Ceilândia, no Distrito Federal. Ele foi preso nesta segunda-feira (28), em Goiás. A notícia do fim da caçada que mobilizou o país foi divulgada pelo governador Ronaldo Caiado.

Minutos após a confirmação da prisão, chegou também a informação de que Lázaro Barbosa teria sido morto durante confronto com polícia na manhã de hoje. A informação foi logo confirmada pelos agentes que trabalhavam na captura.

Imagens do serial killer sendo carregado por policiais já circulam pelas redes sociais.

As buscas começaram no último dia 09 de junho quando Lázaro cometeu o crime no DF. Na fuga, ele roubou um carro e foi para a cidade de Cocalzinho de Goiás. Desde então, o suspeito vinha invadindo propriedades rurais na região e fazendo várias pessoas reféns. Além disso, o homem ainda roubou alimentos e impôs terror com violência e ameças.

Materiais de última geração foram usados para fazer o cerco ao homem. Drones, helicópteros, rádios comunicadores até um caminhão com uma plataforma de observação elevada de videomonitoramento ajudaram nas operações e investigações do paradeiro de Lázaro.

Cães farejadores também atuaram na caçada a Lázaro. A cadela Cristal, que ajudou nas buscas em Brumadinho (MG), estava entre eles. Durante a perseguição, Lázaro invadiu ao menos 11 fazendas, trocou tiros e baleou moradores, dois policiais militares e um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), segundo informações da força-tarefa.

Uma força-tarefa foi montada para capturar o Lázaro Barbosa. (foto: reprodução)

Ele também fez uma família refém em uma das fazendas – o casal e uma adolescente de 16 anos. Durante o sequestro, o criminoso exigiu que todos andassem em um córrego para não deixar rastros. Durante as buscas, os policiais encontraram ainda um carro queimado e alguns objetos, como um lençol usado e um serrote. Todos os itens seguiram para a perícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *