O casal estava noivo há um mês. Segundo familiares, Jaqueline e Denis tinham uma relação conturbada. | Reprodução/ Arquivo pessoal

Durante a pandemia, houve um aumento de feminicídios no Brasil, chegando a 648 casos no primeiro semestre de 2020, 1,9% a mais que 2019. Os dados são do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. 

Além disso, houve um aumento de 3,8% dos acionamentos feitos às polícias em casos de violência doméstica, tendo sido registrado no primeiro semestre 147,4 mil chamados. No entanto, apesar disso, houve uma redução de 9,9% dos registros feitos em delegacias.

O anuário aponta ainda que houve um aumento de subnotificação dos casos, tendo em vista a maior dificuldade de registros por parte das mulheres em situação de violência doméstica durante a vigência das medidas de distanciamento social. Um terço das mulheres mortas no país em 2020 morreu apenas por ser mulher. 

Entrando para essa triste estatística está o caso de uma jovem de 29 anos que foi morta de uma forma cruel pelo companheiro em uma casa no bairro de Vila Bela, região do Parque São Rafael, na Zona Leste de São Paulo. Segundo a PM, a vítima é Jaqueline Carletto, de 29 anos, morta pelo noivo, Denis Magalhães, de 31. 

De acordo com as autoridades, Denis jogou água fervente dentro do ouvido de Jaqueline enquanto ela dormia e se enforcou em seguida. Segundo informações, os corpos teriam sido encontrados na tarde desta segunda-feira (2) pelo filho de Jaqueline, que chamou a PM.

O casal estava noivo há um mês. Segundo familiares, Jaqueline e Denis tinham uma relação conturbada há um ano, com brigas frequentes. A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) registrou o caso como feminicídio e suicídio no 49º Distrito Policial, em São Mateus.

Por: O Dia

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.