Reprodução/O LIberal

O caso envolvendo a delegação do Rio Branco-AC, que teve uma intoxicação alimentar gerou ameaças de morte. O dono do restaurante onde o Rio Branco jantou, Alessandro Oliveira, foi ameaçado de forma anônima e teve seu automóvel apedrejado por torcedores do Flamengo-RJ. 

Alessandro confirmou ao OLiberal.com que recebeu ligações do Acre (AC) e do Rio de Janeiro (RJ), ameaçando de morte ele e seus familiares. Em uma das ligações foi citada uma facção e que tinha representantes dela no Estado do Pará que vingariam o ocorrido com o goleiro Bruno. 

“Vários grupos de mensagens de torcedores do Flamengo e do Rio Branco espalharam que as pessoas que trabalham no restaurante tinha um plano para matar o goleiro Bruno. Recebi duas ligações do Acre, ameaçando os jogadores do Bragantino, que terão que jogar na cidade e outras duas do Rio de Janeiro, sempre se identificando como facção e que eu seria punido junto com a minha família. Meu carro foi apedrejado por um grupo de pessoas que torcem para o Bragantino e pelo Flamengo, então resolvi fazer um boletim de ocorrência”, disse. 

Chefe de cozinha e dono do restaurante há quatro anos, Alessandro Oliveira afirma que o que ocasionou a intoxicação alimentar não foram as refeições servidas aos atletas pelo restaurante.

“Vamos provar que não fizemos isso que estão nos acusando. O restaurante é credenciado à empresa da CBF, já recebemos clubes de Série A aqui e nunca ocorreu isso. Hoje a Vigilância Sanitária esteve aqui e levou amostras de tudo que foi servido, agora é aguardar”, finalizou. 

Por: O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *