Anúncio do início da dose reforço foi feito pelo ministro da saúde, Marcelo Queiroga. | Marcelo Camargo/Agência Brasil

Aumentar a proteção contra a Covid-19, especialmente contra a variante Delta. Esse é um dos objetivos da dose reforço da vacina, que já tem data para começar a ser aplicada no Brasil., segundo informou o  ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

O esquema de aplicação da terceira dose das vacinas contra a Covid-19 iniciará a partir do dia 15 de setembro, de acordo com anúncio feito pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. 

A iniciativa, de acordo com Queiroga, priorizará idosos e indivíduos imunossuprimidos, como os transplantados, “desde que esses tenham tomado as duas doses da vacina”. Depois de 21 dias, é a previsão para ser aplicada a dose reforço, que será da vacina da Pfizer.

“Só depois será para aqueles acima de 80 anos. Inicialmente, vamos aplicar também uma dose da vacina da Pfizer para aqueles que tomaram a última dose há seis meses”, ressaltou Queiroga.

O ministro adiantou que a expectativa é que todos maiores de 18 anos sejam vacinados com as duas doses até o final de outubro, uma antecipação na estimativa anterior, que era dezembro.

Queiroga disse ainda, que o intervalo entre as doses dos imunizantes da Pfizer e da AstraZeneca deve diminuir de 12 para 8 semanas, como acontece no Reino Unido.

Estudos

O ministro ressaltou que o Ministério da Saúde encomendou um estudo para verificar a estratégia de terceira dose em pessoas que tomaram a Coronavac, imunizante produzido pelo Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também autorizou estudos de terceira dose das vacinas da Pfizer e AstraZeneca no Brasil.

A expectativa é que todas as pessoas, independente da fabricante da primeira e segunda doses, tomem a vacina de reforço.

Por: Portal Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.