De acordo com a ação penal em andamento, entre os dias 4 a 21 de agosto de 2016, o pastor e cantor gospel Júlio César Ribeiro, integrante da dupla “Julio Cesar e Marlene”, foi interrogado e qualificado no processo de violência doméstica pela prática do crime de estupro de vulnerável contra duas sobrinhas menores de 14 anos.

A informação foi divulgada nesta terça-feira (15), no Instagram “Nossas Histórias Curam”, uma página que denuncia abusos sexuais cometidos no ambiente religioso e fora dele, e que pertence ao pastor Anderson Silva, da Vivo por Ti, Igreja em Movimento de Brasília, DF.

A página afirma que, segundo o apurado, na época, Júlio era pastor evangélico na Igreja Assembleia de Deus e integrante de uma dupla da cidade de Sorocaba (SP). Ainda de acordo com a denúncia, o cantor é tio das crianças, que tinham 10 anos na época dos fatos.

O denunciado abusou por diversas vezes das menores enquanto elas ficavam em sua residência, pelo fato de os pais as deixarem lá, com o intuito de que ficassem sob sua supervisão e seus cuidados, mas este se aproveitou da situação e praticou atos libidinosos contra as vítimas.

Segundo a página, Júlio César Ribeiro foi autuado, como incurso, por duas vezes, no art. 217-A do Código Penal, considerando-se que houve um crime de estupro de vulnerável contra cada uma das vítimas, o ele foi condenado a cumprir a pena de 24 anos de reclusão.

O processo já foi sentenciado e a defesa do acusado já entrou com recurso de Apelação, porém não foi concedida a absolvição. Ainda cabe recurso e ele responderá em liberdade até o trânsito em julgado da ação penal, segundo informações prestadas por Jacob Filho, advogado das vítimas.

DENUNCIE!

Se você reside no Pará, pode denunciar crimes como estupro através do 181. A denúncia é sigilosa. O Disque Denúncia é um importante e inteligente serviço do Sistema de Segurança Pública do Estado no combate à criminalidade e à violência no Pará. A ligação é gratuita e o atendimento é realizado 24 horas por dia, sete dias por semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *