Reprodução

A Justiça do Acre determinou, nesta segunda-feira (07) que o goleiro Bruno Fernandes use tornozeleira eletrônica após um pedido do Ministério Público do estado (MP-AC) e que foi acolhido pelo juiz a Vara de Execuções Penais, Hugo Torquato.

O jogador, que atua pelo Rio Branco AC, que disputa a Série D do Campeonato Brasileiro, cumpre regime semiaberto após ser condenado a 22 anos e três meses de prisão, em 2013, por homicídio triplamente qualificado e sequestro de Eliza Samúdio. A ex-modelo foi morta em junho de 2010, quando ele ainda jogava pelo Flamengo. Mas o atleta não demonstra nenhum arrependimento e afirmou que “dorme com a consciência tranquila”.

Em entrevista ao programa “Conexão Repórter”, do SBT, o goleiro Bruno afirmou que não sente qualquer obrigação de se desculpar com ninguém e se negou ser mandante do assassinato de Eliza Samudio. 

Um dos motivos para a morte da ex-amante era o filho que o jogador teve com a modelo. No entanto, Bruno Fernandes nunca reconheceu Bruninho, hoje com 10 anos, como um dos seus herdeiros — ele ainda tem três filhas, duas do primeiro casamento e uma do segundo. O goleiro afirmou que só vai reconhecer a criança depois que um exame de “DNA” comprovar o vínculo.

Por: O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *