O município de Faro, região Oeste do Pará, ganhou o noticiário nacional nesta terça, 19, por conta de 7 mortes provocadas pelo coronavírus. Falta de oxigênio, medicamentos e leitos improvisados mostraram o descaso do poder público frente a pandemia. Mas após a situação ser denunciada, algumas medidas foram anunciadas para minimizar o sofrimento dos pacientes internados.

Ainda na terça, 20 cilindros de oxigênio, comprados pela Prefeitura, chegaram à cidade e foram imediatamente levados para as Unidades referência para tratamento da Covi-19. A previsão é que nesta quarta-feira, 20, uma embarcação saindo de Santarém leve outra carga para cidade, disponibilizados pelo Governo do Estado

A Prefeitura também aguarda nesta quarta-feira, 20, a confirmação de leitos para a transferência de, pelo menos, 8 pacientes em estado grave para cidades que dispunham de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 

Desde o dia 5 de janeiro, Faro está em toque de recolher. De 20h às 05h não é permitida nenhuma movimentação na cidade. Durante o dia, o comércio local está funcionando com restrições, como por exemplo, o atendimento de no máximo 5 pessoas por vez. Bares e outros estabelecimentos estão fechados. A medida, determinada em decreto pelo prefeito Paulo Carvalho, veio após as festividades de final de ano. “Faro recebeu muitas pessoas de Manaus nesse período, daí o aumento da contaminação”, observa o prefeito.

Roma News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *