Trabalhador em plantio da Agropalma em Tailândia (foto: Agropalma)

A sustentabilidade e o cuidado com o meio ambiente fazem parte das diretrizes da Agropalma, maior produtora de óleo de palma sustentável das Américas. Neste 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, a companhia reforça a importância da conservação de áreas florestais e espécies nativas, bem como uma produção sustentável. 

A Agropalma vem cuidando de áreas de floresta amazônica que fazem parte de suas terras e representam 64 mil hectares de reserva florestal, cerca de 60% da área total. A empresa tem realizado um papel importante na preservação das áreas nativas remanescentes da floresta. Só nesta região, ao todo foram registradas 1029 espécies de animais, onde 40 espécies estão ameaçadas de extinção e 11 são endêmicas do Centro de Endemismo Belém (CEB), demonstrando que é possível criar valor sem destruir.

Tulio Dias, diretor de sustentabilidade da Agropalma, reforça que o cuidado das áreas protegidas da floresta amazônica faz parte do DNA da companhia e é fruto de um grande esforço conjunto de diversas organizações, que possam garantir a conservação local. “A preservação do ecossistema local é uma obrigação legal e moral da Agropalma, pois traz diversos benefícios para a sociedade em geral, como a conservação da biodiversidade, a estabilidade climática e o desenvolvimento científico” declara. 

Longo histórico sustentável

A abordagem de sustentabilidade da Agropalma desenvolveu-se organicamente nos últimos 20 anos, utilizando-se dos sistemas de certificação mais avançados e estrita aderência à legislação ambiental e social do Brasil. Com uma política rigorosa de não desmatamento, desde 2002, a Agropalma não converte mais florestas em plantações de palma, e as atividades de proteção e restauração têm sido implantadas também na refinaria localizada no Estado de São Paulo. Na área próxima à fábrica, em Limeira, a empresa restaurou 2,5 hectares de Mata Atlântica, um dos ecossistemas mais diversos do mundo. 

Com um pensamento guiado pelo caminho regenerativo, o cuidado com a terra também é algo primordial para o desenvolvimento do trabalho da companhia. Nos últimos anos, a Agropalma concentrou esforços em iniciativas de pesquisa e desenvolvimento para modernizar as plantações e práticas agronômicas para a eficiência do uso do solo. Destacam-se a análise periódica para melhorar a gestão de fertilizantes, monitoramento das emissões decorrentes de mudanças no uso do solo e o não-desenvolvimento de plantações em solos orgânicos turfosos ou inadequados para a cultura de palma. 

A empresa tem, ainda, ações voltadas ao melhor uso dos recursos hídricos. O reuso da água está em duas etapas do processo. A água residuária, oriunda da clarificação e da secagem, é reutilizada na etapa da prensagem, diminuindo a necessidade de captação de água. Posteriormente, o efluente é bombeado para uma lagoa de tratamento, onde sofre decomposição anaeróbica e é usado como fertilizante nas plantações. 

Esse compromisso com a sustentabilidade é atestado pelos mais importantes certificados nacionais e internacionais. A Agropalma trabalha em linha com os Princípios e Critérios da Roundtable on Sustainable Palm Oil (RSPO), principal reconhecimento internacional que atesta a produção do óleo de palma sustentável; com os indicadores do Palm Oil Innovation Group (POIG), uma iniciativa entre empresas que produzem óleo de palma e ONGs internacionais; também reforçam esse reconhecimento o IBD (Instituto Biodinâmico de Desenvolvimento Rural), Biosuisse Organic, USDA Organic, entre outros. 

Entre as iniciativas ambiental da Agropalma está a parceria com a Biofílica, consultoria especializada na conservação de florestas e na comercialização de serviços ambientais, pelo projeto REDD+. A busca pelo Carbono Zero também é um dos principais desafios da empresa. Com o projeto, a Agropalma não apenas será uma companhia neutra em emissões, mas que também passa a contribuir para que outras empresas possam fazer a sua parte para combater as mudanças climáticas.

Sustentabilidade e acolhimento 

Além da atuação no meio ambiente, a Agropalma desenvolve práticas sustentáveis com produtores locais por meio do Programa de Agricultores Parceiros.
Desde 2002, a empresa, pioneira em Agricultura Familiar com palma, apoia o desenvolvimento desses produtores, acolhendo, instruindo e transformando a realidade social. O projeto que começou com 50 famílias, atualmente já conta mais de 200 que saíram da situação de extrema vulnerabilidade para um trabalho garantido e sustentável. A companhia oferece treinamento, suporte e garante a compra de toda a produção desses agricultores, todos certificados pela RSPO, que respondem por cerca de 23% dos frutos processados em suas fábricas.  Além destas famílias, a Agropalma conta com mais de 40 produtores integrados que também cultivam o dendê e vendem sua produção para a empresa. 

Tulio Dias destaca que esse olhar para o ecossistema é o que faz o sucesso da empresa. “Cuidar do meio ambiente envolve o local em que vivemos, faz parte cuidar da floresta, preservar as espécies em nossas áreas e também dar suporte ao produtor local. Olhamos para a sustentabilidade de forma global, pois desta forma conseguimos evoluir e encontrar novas formas para um crescimento sustentável”, ressalta o executivo. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.