Jon “Maddog” Hall defende investimento em software aberto
Jon “Maddog” Hall defende investimento em software aberto
Jon “Maddog” Hall defende investimento em software aberto

Jon “Maddog” Hall, diretor executivo da Linux International, uma associação mundial sem fins lucrativos que divulga o sistema operacional de código aberto pelo mundo, participou nesta terça, 25, em Belém, do 9º Fórum do Espírito Livre, que discute a aplicação e o desenvolvimento do sistema operacional de computadores Linux e outros softwares livres. O evento acontece nos dias 25 e 26 de novembro. O norte-americano, uma das maiores referências na área de Tecnologia da Informação (TI) de código livre, ele proferiu duas palestras no evento que ocorreram no campus Belém do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA). Para Maddog, o Brasil tem as condições necessárias para desenvolver software livre e pode gerar milhares de empregos e possibilitar a independência do País na área da tecnologia de informação.

“Quando penso em software livre penso nos trabalhos locais, quando você adquire software pago, esse dinheiro vai para fora do Brasil. Já quando trabalha com software livre, que vai fazer as mesmas coisas que o programa pago, além de você poder modificá-lo, ao invés do dinheiro ir para o senhor Gates (dono da Microsoft), vai para o desenvolvedor local”, explicou Maddog.

A educação de novos profissionais é vislumbrada por Maddog como a base para a expansão do mercado de softwares brasileiros. “A gente está gastando os impostos treinando alguém que vai trabalhar nos Estados Unidos. Se nós tivermos boas oportunidades de trabalho aqui ao invés das pessoas irem trabalhar fora ficarão aqui. E quando a gente tem um grupo grande de pessoas trabalhando no País isso atrai investidores internacionais para fazer esse investimento interno. Se o Brasil não tiver pessoas treinadas, esses investimentos não virão”, resumiu. Para ele, o Brasil está bem adiantado na área, pois o governo federal descobriu há alguns anos que é possível elaborar bons produtos a custo baixo e utilizá-los nos seus próprios projetos. “Várias universidades têm incluído esse tema no ensino dos estudantes. Quando se usa o software livre o estudante não aprende só a executar o programa, mas a criá-lo”, destacou.

Maddog alertou governo brasileiro sobre espionagem eletrônica

Após as denúncias no ano passado das ações de espionagem virtual feitas pela Agência de Segurança Nacional (NSA) do governo dos Estados Unidos em empresas brasileiras, órgãos públicos e até invasão do comunicações da presidente Dilma Rousseff, Maddog divulgou uma carta aberta à presidente divulgando que já tinha alertado Dilma e o ex-presidente Lula do caso. Para ele, o Brasil precisa ser mais incisivo para se proteger da espionagem virtual, além da proposição de um marco civil multilateral para a governança e uso da internet na proteção de dados, feita pelo Brasil na Organização das Nações-Unidas (ONU), o País deveria ter investido mais recursos no setor.

“Eu acho um bom primeiro passo, mas é patético. Eu digo patético, porque o que foi feito pelo governo brasileiro deveria ter sido mil vezes mais incisivo. Iria custar de dois a três bilhões de dólares para resolver o problema. A boa noticia é que esse dinheiro seria gasto aqui para resolver o problema e ia acabar gerando expertise nas indústrias locais aumentando os padrões ao redor do mundo de software livre e hardware. Teria que se reconstruir todo o mecanismo de redes e hardware”, criticou.

Projetos miram a criação de plataformas abertas e adaptáveis

As duas apresentações de Jon Maddog ocorrerão no auditório do campus Belém do IFPA, na avenida Almirante Barroso, nº 1155, Marco. A primeira palestra será às 10 horas, com o tema “Why Are We Here?” (Por que estamos aqui?) e a segunda será às 13h sobre o projeto Caua V0.0. O Projeto Caua, de Maddog, está sendo desenvolvido no Brasil na cidade de Florianópolis (SC) que pretende criar soluções baseadas em software livre e hardwares abertos para distribuição em diferentes mercados e nichos. O evento é gratuito, porém com inscrições antecipadas no site do evento e no credenciamento, hoje. O 9º Fórum Espírito Livre tem a promoção e realização da Rede Espírito Livre e Associação Software Livre.org e apoio de órgãos locais como IFPA, Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e entidades sindicais.

 

ORM News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *