Tailândia, que fazia parte do município paraense de Acará, teve a sua emancipação político-administrativa em 10 de maio de 1988. O setor primário do novo município foi o segmento que mais absorveu mão-de-obra. A pecuária e o extrativismo madeireiro foram implantados através de projetos financiados pela lei de incentivos fiscais. A rápida migração, incentivada pelos proprietários de grandes áreas de terras e serrarias, ajudou a dinamizar a economia baseada na pecuária e na extração de madeira.

Imagem aérea da praça do Povo de Tailândia (foto - Gildásio Filho - Arquivo Portal Tailândia)
Imagem aérea da praça do Povo de Tailândia (foto – Gildásio Filho – Arquivo Portal Tailândia)

Essa realidade mudou, principalmente depois da operação Arco de Fogo realizada em 2007 pelo governo federal, onde dezenas de madeireiras e carvoarias foram fechadas no município. A partir de então, o município que figurava entre os maiores desmatadores do país, passou a adotar uma política ambiental diferente o que resultou na conquista do título de Município Verde, no ano de 2014. A principal matriz produtora do município deixou de ser o extrativismo e passou a ser a pecuária e o cultivo, principalmente do óleo da palma do dendê e outras oleaginosas como a soja e o milho. A agricultura familiar também vem ocupando lugar de destaque na economia local, gerando empregos e movimentando o comércio.

O município completa hoje, dia 10, 28 anos de emancipação político-administrativa, com vários avanços em diversas áreas. Na área estrutural, a cidade recebeu nos últimos 3 anos, 15 km de asfalto, foram construídas e entregues 1.424 casas, ao todo 17 novas escolas foram construídas, reformadas e ampliadas, 5 novos postos de saúde foram construídos, foram construídas 30 pontes de madeira nas vicinais, a feira-livre municipal ganhou uma nova estrutura, melhorando a vida tanto dos feirantes quanto da população que frequenta o espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *