Os professores da rede municipal de Tailândia, nordeste paraense, vão entrar em greve na próxima sexta-feira, 23, a decisão foi tomada na noite de segunda-feira, 19, em assembleia geral, que aconteceu no Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará – Sintepp, sede Tailândia.

Entre as reivindicações da categoria estão a garantia de 200 horas para todos os profissionais da educação, melhoria na merenda escolar, melhoria no transporte escolar, redução da quantidade de alunos por turma, reposição das perdas salariais remanescentes aos meses de agosto de 2017, quando os professores passaram a receber as vantagens sobre apenas 100 horas. Ao todo a pauta da greve têm 15 itens, debatidos e aprovados em assembleia.

Veja a pauta de greve de 2018

Essa é a segunda greve deflagrada pelos profissionais da educação na rede municipal em menos de um ano. Em agosto de 2017, após retornarem das ferias e terem os salários reduzidos por conta do reajuste promovido pela prefeitura, os trabalhadores iniciaram uma greve cobrando retomada de carga horária e de salários.

uma das reclamações dos professores, mas que não está na pauta de greve, é a falta de dialogo com a atual gestor. De acordo com os profissionais, o prefeito nunca sentou com a categoria para ouvir as reivindicações ou parte delas. Uma reunião entre as partes até ficou marcada após os professores acamparem na sede da prefeitura na semana passada, mas o encontro acabou não acontecendo.

Com mais de 900 professores na rede municipal, aproximadamente 500 são concursados e caso a greve realmente aconteça, os alunos do município, cerca de 19 mil estudantes, deverão assim como em 2017, ter a reposição dos dias perdidos aos sábados.

Outro lado 

A Prefeitura de Tailândia foi procurada para se manisfestar a respeito da nova greve dos professores, mas até a publicação desta matéria não tinha retornado. O espaço ficará aberto ao órgão público, assim que desejar se manifestar, divulgaremos.

Comentários
  1. Suspeitei desde o principio que haveria manifestações(greves) no Brasil após a homologação do piso salarial dos professores do estado do Maranhão no dia 28 de Fevereiro pelo atual governado Flavio Dino. Provavelmente o piso de R$ 5750,00 faz parte de um jogo politico. Embora essa hipótese possa ser verdade foi uma afronta para os demais governos, pois este ou teriam que reajustar ou o povo se manisfestariam solicitando um reajuste. Isto é o que estar ocorrendo inconscientemente. A categoria do município de São Paulo a capital Manaus e os interiores do estado do Amazonas e agora Tailândia no Pará. Provavelmente este são os primeiros focos de muitas greves que ainda estão por virem este ano. Tomara que seja restabelecida a ordem do sistema educacional e o politico tenha consciência que ele é eleito com a finalidade de saber distribuir o dinheiro arrecadado do imposto para beneficio da população e não de si.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *