Um grupo de profissionais da educação ligados ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará, pararam as atividades por um dia, nesta quarta-feira em Tailândia, com o objetivo de chamar a atenção do município e cobrar reajuste no piso salarial, para mais 33,24%.

A manifestação se concentrou ao lado da prefeitura do município, onde os profissionais aguardavam para uma reunião com o prefeito Paulo Jasper “Macarrão”, maracada para o fim da tarde.

Na chegada, Macarrão disse que o ato era democrático. Ele se manifestou e pediu respeito entre os presentes, já que na ocasião um grupo de apoiadores do prefeito também o aguardavam no local. Ao encontrar os manifestantes, ele foi aplaudido e se dirigiu para a reunião.

Durante sua fala Macarrão critica postura de um dos integrantes do Sintepp que fala em fechar a rodovia PA-150 por três dias.

O prefeito ainda fez um apelo para não que os manifestantes não fechem a rodovia, prejudicando assim, centenas de pessoas, como doentes que precisam todos os dias passar pela PA-150, e que nada têm haver com a situação.

Após fazer críticas e afirmar que a principal pauta de paralização do Sintepp é salarial, Macarrão deixou a reunião e pediu que a assessoria jurídica o representasse, solicitando ao sindicato que marcasse uma nova reunião com uma agenda mais ampla para melhorar a educação, e que o foco principal não fosse apenas o salário.

Sobre dois pontos levantados pelo movimento, de que o transporte dos alunos não funciona e que na merenda escolar é servido apenas mingau, a gestão municipal pediu ao sindicato que apontassem as rotas específicas de transportes com problemas que seriam resolvidas e quais escolas serviam apenas mingau, pois essa afirmação não é verdadeira.

O município disponibiliza transporte para 54 rotas e outras dez estão sendo implementadas.

Após a saída do prefeito, a reunião seguiu com o principal ponto da reunião sendo o resjuste salarial e o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) da categoria.

Sem um concenso entre as partes, o tema deverá ser discutiso em outras ocasiões.

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *