Enoque fez todo o Ensino Médio na escola Delcimar Alves da Silva, em Tailândia (foto: reprodução)

Na semana passada, saiu o resultado do Processo Seletivo da Universidade Federal do Pará (UFPA), que usa a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), como forma de acesso.

Em menos de um ano, Enoque Penna Souza, de 20 anos de idade, teve duas aprovações no curso de medicina na UFPA. Na primeira, em outubro do ano passado, o estudante foi aprovado para o município de Altamira. Agora, ele passou novamente, só que na chamada regular para a concorrida “federal”, na capital paraense.

Natural de Tailândia, nordeste do Pará, o jovem é um exemplo de superação e determinação. O sonho de ser médico veio com ainda cedo, a partir do contato com médicos no hospital Sarah, em Brasília, onde durante grande parte da vida fez tratamento. Enoque sofre de uma deficiência chamada mielomeningocele, que é uma malformação congênita da coluna vertebral e da medula espinhal. Este problema o limita a desenvolver atividades físicas que exijam andar muito ou carregar peso.

Desenganado pelos médicos ainda bebê

Ao nascer, os médicos diziam que ele teria poucos meses de vida. Conforme crescia, contrariando as expectativas da medicina, a criança ouvia que era um milagre por ela está andando e falando, já que em grande parte dos casos, os pacientes são afetados com paralisia nas pernas.

Superação

Enoque não esconde a emoção: “Estou muito feliz e grato a Deus pelas barreiras sociais e físicas  que eu consegui quebrar com a ajuda Dele e de meus familiares. O percurso não foi fácil! Enfrentei diversas pressões, mas com bastante resiliência, consegui almejar este sonho que desenvolvi ao longo da minha infância e que carrego comigo até os dia de hoje”.

Desafio de ser deficiente no Brasil

Consciente dos graves problemas que o País enfrenta para tornar a vida dos deficientes mais digna, o calouro afirma: “Não é fácil ser uma pessoa com deficiência no Brasil, as desigualdades sociais do nosso país acabam por limitar o alcance de muitos, mas com fé e determinação, a pessoa consegue vencer os desafios”.

Fé e gratidão

Com fé inabalável, Enoque faz questão de lembrar daqueles que ao longo de sua jornada, o ajudaram a tornar seu sonho possível:

“Hoje sou grato a Deus pelos meus professores, pela minha igreja e pela minha família, em especial a minha mãe, que sentiu na pele as adversidades que a nós foram impostas, dedico a ela esta aprovação! E agora, é dar continuidade a realização deste sonho”.

Enoque ao lado de sua mãe, dona Graça. (foto: arquivo da família)

Ensino médio em escola pública

Para chegar até aqui, o aluno que cursou o ensino médio na escola estadual Delcimar Alves da Silva, estudava nove horas por dia. Na redação do Enem, sua nota foi 920 pontos, e, ele credita parte desse mérito a professora de português, Raisa Medeiros.

Enoque é um dos exemplos de estudantes de Tailândia que acreditam no poder transformador da educação e, dão orgulho a esta terra.

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.