Adriano Sousa dos Santos, 28 anos, morreu na madrugada desta terça-feira (20), depois de reagir a uma abordagem do Grupamento Tático Operacional (GTO), em Tailândia. A informação foi confirmada pelo 45º Batalhão da Polícia Militar.

De acordo com o 45° BPM, a guarnição do GTO recebeu informações de que o acusado estaria escondido em um barraco, na vila Rajada, comunidade que fica a 50 quilômetros da sede do município.

Ao chegarem no local para averiguar a denúncia, os policiais comandados pelo sargento Henrique foram recebidos a tiros, segundo os PM’s. Eles reagiram e Adriano, vulgo “Bodinho”, foi baleado.

O acusado ainda chegou a ser socorrido, mas morreu ao dar entrada no hospital da cidade.

Com ele foi encontrado um revólver, calibre 32, com quatro munições, sendo uma já deflagrada.

Adriano era acusado de envolvimento com tráfico de drogas, inclusive, de chefiar a venda de entorpecentes no loteamento Jardim Liberdade. Ele também respondia por homicídio e roubo.

Moto recuperada

No local da ação havia uma motocicleta Honda Pop 110, placa QVV 7A03. Na indisponibilidade de acessar bancos de dados para consultar a procedência da mesma, foi deixada no local e ao chegar na cidade foi feito a consulta. A moto constava como sendo roubada. A guarnição retornou até a vicinal, pegou a motocicleta e também a apresentou na delegacia.

Moto recuperada pelo GTO, em posse do criminoso.

Baleado no ano passado

Em junho de 2021 ele foi baleado pelo mesmo GTO, depois de uma ação de combate ao tráfico de drogas. Na época foram encontrados em poder do mesmo, uma arma calibre 38 e cerca de 1kg e 250 gramas de maconha.

Policiais acreditam que Adriano Sousa teria ido se esconder na zona rural do município após um dos seus comparsas, conhecido como R7, ter sido morto durante uma ação da Polícia Civil, em Tailândia.

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.