Campanha tem tomado conta das redes sociais e de ruas de Tailândia para ajudar o jovem Helleno Paiva.

helleno-paiva-lennos-paiva-tailandiaFoto: reprodução

Uma campanha tem tomado conta das redes sociais e mobilizado dezenas de jovens em Tailândia. Um belenense de 26 anos, que completou nesta quinta-feira (14), cinco dias de internação no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospiytal Ophyr Loyola, tem tido grandes demonstrações de carinho. O jovem morador de Tailândia é autônomo e conseguiu com muito esforço dar um restaurante para a mãe, que é cozinheira.

Helleno da Silva Paiva passou mal na sexta-feira (8) com muitas dores nas pernas e na cabeça, sintomas esses nunca antes sentidos pelo jovem. Sem falar e apenas sinalizando a dor, o menino foi para o CTI no dia seguinte e até hoje permanece internado. No sábado (9) o diagnóstico: leucemia. Até o momento são feitos exames para detectar o tipo da doença, por isso o jovem ainda nem começou o tratamento. Ainda assim, seus amigos resolveram usar as redes sociais incentivando a doação de sangue e medula, desde já, ao Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa).

neibiane-tailandia-doacao-lenos-paivaDoação de sangue em prol do jovem

Só em Belém, já foram mais de 50 doações de sangue destinadas a Helleno. Em Tailândia, a campanha é ainda maior. Já aconteceram carreatas, passeatas e amigos e familiares estão nas ruas incentivando a doação também. Uma tenda está montada na Praça da Prefeitura e pessoas revezam dia e noite colhendo assinaturas de doadores e recursos financeiros para ajudar a família.

O grande problema de Tailândia é que a cidade não possui nenhuma unidade do Hemopa e nenhuma unidade móvel que possa ir colher as doações no local. De acordo com Diego Fiuza, amigo de Helleno, que afirmou ter entrado em contato com o Hemocentro, até dezembro a agenda das unidades moveis está cheia. Só em Tailândia já foram recolhidos mais de 1000 assinaturas de possíveis doadores. O amigo quer viabilizar com pessoas próximas a possibilidade de trazer essas pessoas, organizadas em grupos, para fazer a  doação em Belém.

Apenas alguns casos de leucemia exigem o transplante de medula óssea. “Nem sabemos se o Helleno vai precisar de transplante, mas já nos adiantamos na campanha. Se ele não precisar ou não encontramos alguém compatível na nossa campanha, pelo menos estamos ajudando outras pessoas, que com certeza serão beneficiadas”, disse Diego.

carreata-em-tailandia-lenos-paivaCarreata em Tailândia

Quem quiser ajudar na doação e se cadastrar para ser doador de medula precisa ir ao Hemopa e informar o nome completo do jovem, que é Helleno da Silva Paiva.

Facebook do Helleno

https://www.facebook.com/lennos.paiva

Entenda a doença

Leucemias são doenças malignas que acometem os leucócitos, os glóbulos brancos do sangue presentes nos gânglios linfáticos e na corrente sanguínea. Essas células são fabricadas dentro da medula óssea a partir de uma célula-tronco e são responsáveis por grande parte do nosso sistema imunológico. Nas leucemias, além de perder a função de defesa do organismo, os glóbulos brancos doentes produzidos descontroladamente reduzem o espaço na medula óssea para a fabricação das outras células que compõem o sangue e elas caem na corrente sanguínea antes de estarem preparadas para exercer suas funções.

Existem dois tipos de leucemia: a aguda que é quando as células malignas se encontram numa fase muito imatura e se multiplicam rapidamente, causando uma enfermidade agressiva; e a crônica, quando a transformação maligna ocorre em células-tronco mais maduras. Nesse caso, a doença costuma evoluir mais lentamente, com complicações que podem levar meses ou anos para ocorrer.

[divide style=”2″]

Via: Bruna Dias/DOL

Para acompanhar mais notícias do Pará, Curta o Portal Tailândia no Facebook facebook.com/portaltailandia.com.br. Siga também o Portal Tailândia no Twitter e por RSS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.