A Polícia Federal realizou uma operação conjunta com o Ministério do Trabalho (MPT),  que tem como objetivo resgatar trabalhadores em situação análogos à escravidão. A operação teve inicio no dia 4 de julho e encerrou no último domingo (11).

Foram realizadas fiscalizações em áreas rurais nos municípios de Novo Repartimento, Palestina e Pacajá, no sudoeste do Pará. Os agentes realizaram várias oitivas de trabalhadores e responsáveis pelas áreas para averiguar as condições de trabalho oferecidas aos empregados.

Quatro trabalhadores foram resgatados da situação de escravidão. Foram constatados diversas irregularidades trabalhistas, tais como trabalhadores sem registro e assinatura de CTPS, bem como ausência de exames médicos admissionais, não fornecimento de EPIs, dentre outras irregularidades.

O objetivo da operação é assegurar o fornecimento de requisitos mínimos para que os funcionários realizem suas atividades de maneira digna, já que o trabalho análogo à escravidão é um crime de elevado impacto negativo humano e social.

Em uma das fiscalizações, foi encontrado um estabelecimento em situação deplorável, sem as mínimas condições de higiene no alojamento; Homens e Mulheres dormiam no mesmo dormitório compreendido em uma casa de madeira, grandes frestas entre as tábuas, que facilitavam a entrada de animais peçonhentos, inclusivo foi encontrado uma aranha.

Os trabalhadores consumiam água do poço, não possuíam banheiro e não havia local adequado para armazenar os alimentos,  tendo os trabalhadores que “salgarem” as carnes para poder conserva-las, além de deixá-las expostas ao ambiente e à contaminação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *