Um empresário paraense, natural de Belém, passou quase três dias em cativeiro, após ser sequestrado no centro da cidade de Curitiba, capital do Paraná, para onde havia viajado a trabalho. Ele foi resgatado pela Polícia Civil neste domingo (18), depois de ser extorquido pelos criminosos. Um dos sequestradores foi preso em flagrante. Apesar do susto, a vítima, que teve sua identidade preservada, não chegou a sofrer nenhum ferimento. Com informações do jornal Tribuna da Massa.

O delegado Cristiano Quintas, do Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Grupo Tigre) da Polícia Civil, contou que o empresário, que atua no ramo de licitações, havia saído da capital paraense e tinha como destino final o município de Balneário Camboriú, em Santa Catarina, mas antes teria que passar em Curitiba, onde iria fechar alguns contratos.

Ele chegou na cidade na quarta-feira (14) e, na sexta (16), resolveu curtir a noite curitibana em uma balada. “Como ele faz uso de drogas, acabou sendo atraído por alguns traficantes e levado para um quarto de pensão no centro de Curitiba, na rua 3 de maio. Ele teria ficado em cárcere na sexta, sábado e domingo, e no domingo de manhã, um amigo dele, preocupado, nos procurou e relatou o que tinha acontecido, que ele estava desaparecido”, disse o delegado.Delegado Cristiano Quintas, do Grupo Tigre, comandou a operação de resgate do empresário paraenseDelegado Cristiano Quintas, do Grupo Tigre, comandou a operação de resgate do empresário paraense (Reprodução/ Tribuna da Massa)

Com base nas informações, o Grupo Tigre da Polícia Civil deu início às diligências, e poucas horas depois conseguiu localizar o suspeito, um homem de 24 anos, no centro da cidade. A equipe foi até o local onde a vítima estava sendo mantida em cárcere privado, um quarto de pensão, e visualizou que o cômodo estava trancado com um cadeado pelo lado de fora.

Os policiais arrombaram a porta e acessaram o local, que estava bastante sujo, com lixo e drogas espalhadas por todos os cantos.

Diante dos fatos, o suspeito foi preso em flagrante e vai responder pelos crimes de extorsão mediante sequestro e tráfico de drogas. A investigação vai continuar, para apurar se mais pessoas participaram do crime, considerando que a vítima relatou que enquanto estava no quarto, uma pessoa ficava junto com ela tomando conta, e outra, fora do cômodo, impedindo uma possível fuga.

Cativeiro onde a vítima ficou por quase três dias estava muito sujo, com lixo e drogas em todos os cantos
(Reprodução/ Tribuna da Massa)

Por o Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *