Início Pará Tucuruí Prefeito de Breu Branco foi morto após empresário perder licitação, diz delegado Geral

Prefeito de Breu Branco foi morto após empresário perder licitação, diz delegado Geral

4 Leitura min
1
0
2

Ricardo Chegado, presidente do Partido Social Democrático (PSD) do município de Breu Branco, no sudeste paraense, está entre os presos nesta sexta-feira (28), após ser apontado como um dos mandantes do assassinato do prefeito de Breu Branco, Diego Kolling, em maio deste ano. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup).

Chegado teria sido o coordenador da campanha do deputado federal Delegado Eder Mauro, também do PSD, no município, em 2014.

Em nota, o deputado federal Éder Mauro (PSD/PA) desmentiu a informação de que Ricardo Pessanha, conhecido como Ricardo Chegado, coordenou a campanha do deputado no município nas eleições daquele ano. Éder Mauro afirmou que não teve coordenador de campanha em Breu Branco, os 107 votos conquistados no município são frutos da confiança da população no trabalho do então delegado. O deputado ainda disse que o acusado de ser mandante no crime contra Diego Kolling foi filiado ao partido apenas em 6 de outubro de 2015, um ano após as eleições para deputado federal. Éder enfatizou que continuará no apoio às investigações, para que o caso seja resolvido.

Outras três pessoas também foram presas – dentre elas o executor – e todas estão sendo encaminhados para a Superintendência Regional da Polícia Civil na Região dos Lagos, em Tucuruí. O executor, identificado como Antônio Genival Lima Moura, de 40 anos, foi quem denunciou Ricardo Chegado.

Segundo o delegado geral Rilmar Firmino, o presidente do PSD foi preso em uma fazenda, dentro de Breu Branco. “Nossas equipes o prenderam na fazenda de um amigo dele. Ele tinha uma relação com o autor do crime, que havia trabalhado como tratorista para ele”, revelou.

Os outros dois presos, que não tiveram a identidade revelada, teriam tido participação indireta, auxiliado na execução do crime. Celulares e outros objetos foram apreendidos.

A expectativa é que os presos sejam encaminhados, por volta das 15 horas, para Belém, em uma aeronave do Grupamento Aéreo da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Graesp).
Revolta
 
Assim que os presos chegaram na Superintendência Regional da Polícia Civil na Região dos Lagos, em Tucuruí, muitas pessoas se reuniram na porta da delegacia e, revoltadas, chamaram os detidos de “assassinos”, “vagabundos”, “safados”, entre outros xingamentos.

(Com infromações de Paco Martins)

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Cleyton Rogério
Carregar mais em Tucuruí

Um comentário

  1. Ceica

    29 de julho de 2017 em 11:09

    Sempre os buchas caem nas redes… cadê que eles põem a mão e fazem…usam os fracos e iludidos ,que acham que dinheiro é tudo. Dinheiro nenhum paga a liberdade de viver seus sonhos. Que seja feita a justiça.

    Coementário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *