Uma chuva forte acompanhada de rajadas de ventos e granizo foi registrada no final da tarde desta segunda-feira, 26, em Tucuruí no sudeste do estado. A ocorrência do fenômeno foi rápida, mas o suficiente para que moradores de diversos bairros registrassem em vídeos e fotos que logo circularam nas redes sociais no começo da noite.

De acordo com especialistas, o fenômeno está relacionado a menos três fatores: alta umidade do ar, calor em superfície e atmosfera instável. Na prática, esse tripé traz a condição para que as gotas de água entrem em contato com áreas de temperatura negativa dentro da nuvem para formar o granizo.

“Para entender o granizo primeiro a gente tem que falar da nuvem dele, que é a cumulonimbus. Ela fica em níveis bem elevados da atmosfera e temperaturas muito baixas. Dentro da nuvem nós temos gotinhas de água, que começam a se chocar umas nas outras para criar gotas maiores. Por conta dessa instabilidade na nuvem, os ventos começam a carregar essas gotas para regiões mais altas, com temperatura negativa. Lá ela se solidifica, fica indo de um lado para o outro, e cresce até o momento em que está grande o suficiente para vencer a força da gravidade e atingir a superfície” – explica a meteorologista Tatiane Martins.
Ainda de acordo com levantamentos recentes, esta foi a terceira vez que o fenômeno foi registrado em Tucuruí.

Segundo o Grupamento do Corpo de Bombeiros do município, não houve registro de ocorrências de danos caudados pelas pedras de gelo.

Por Sistema Floresta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *