O senador Jader Barbalho (Foto: Reprodução)
O senador Jader Barbalho (Foto: Reprodução)
O senador Jader Barbalho (Foto: Reprodução)

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (7) abrir ação penal contra o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) por crimes contra o sistema financeiro, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

O processo tramita em segredo de justiça e por isso não é possível ter acesso a detalhes. A reportagem tentou contato por telefone com o advogado do senador, mas não conseguiu.

O senador do PMDB já responde a outras cinco ações penais no STF. Barbalho chegou a renunciar ao mandato de senador em 2001, quando vieram à tona denúncias de que teria desviado verbas liberadas pela Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

Quatro meses depois de deixar o Congresso para não ser cassado, ele teve a prisão decretada pela Justiça Federal do Tocantins. Foi preso em Belém e chegou algemado ao Tocantins, mas foi liberado após passar 13 horas na cadeia.

Depois de dez anos afastado do Congresso, voltou a assumir uma cadeira no Senado em 2011. Com a posse, os inquéritos e processos a que respondia foram para o Supremo Tribunal Federal, já que passou a ter foro privilegiado.

Investigações
As ações que cobram a punição de Jader Barbalho e outros acusados de envolvimento no esquema de desvio de dinheiro público da Sudam foram propostas por procuradores do Ministério Público Federal do Pará, Amazonas, Mato Grosso e Tocantins.

O rombo, conforme as investigações, seria de mais de R$ 200 milhões. Na ação que investiga o Projeto Agroindustrial de Cereais Dona Carolina S/A, no Tocantins, os procuradores argumentam que Barbalho recebia comissão de 20% sobre o valor de cada parcela liberada pela Sudam para o projeto.

 

G1

Comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *