Dede do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores em Jacundá
Dede do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores em Jacundá
Dede do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores em Jacundá
Na madrugada de quinta para sexta-feira, 5, a sede do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores em Jacundá foi invadida. Os criminosos destruíram móveis, equipamentos de informática, utensílios domésticos e acessórios de escritório e decoração.
Um levantamento preliminar da diretoria do partido não identificou sumiço de documentos ou roubo de objetos. Além de um Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia de Polícia Civil de Jacundá, um inquérito policial foi aberto pelo delegado Sérgio Máximo para apurar o ato criminoso, seus autores e mandantes. Uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) de Marabá esteve no local para coletar impressões digitais e outras provas do crime.
Para o presidente da agremiação política Robson Peres, que exerce a secretária de Finanças da Prefeitura de Jacundá, o crime contra o partido “representa uma violação ao direito democrático, fere a liberdade e tenta impor intimidação através da violência. São atos que repudiamos veemente, pois a nossa cidade não merece vivenciar atitudes como estas”. Sobre a motivação para a invasão, Robson não quis comentar, mas garantiu que “todas as providências serão tomadas pelo PT para que o caso seja esclarecido pela polícia”.
O diretório do PT fica localizado atrás da agência do Banco do Brasil e ao lado do Departamento Municipal de Trânsito Urbano (DMTU), entre a Comarca Judiciária e a Prefeitura Municipal. Para invadir o prédio, o grupo teve acesso pelo telhado. Não se sabe a seqüência de acesso, nos cinco cômodos do prédio sofreram danos. Na sala de reuniões, danificaram dois computadores, cadeiras, quadros de decoração e livros e acessórios de uma estante. E ainda jogaram água na mesa.
Na sala da presidência e também na sala destinada aos três vereadores petistas, os danos são semelhantes. “Todas as portas ficam trancadas, então eles (invasores) entraram e saíram pelo forro de cada cômodo”, explica o secretário do partido, Adalto Nunes. Para entrar e sair da sala onde funciona a tesouraria e também ter acesso a cozinha, o método foi o mesmo. Houve rompimento do forro em PVC e na saída utilizaram mesas e cadeiras. Na cozinha, o sinistro foi maior: um dos invasores fez necessidade fisiológica.
No fim da tarde desta sexta-feira, (5), uma equipe do IML esteve no local para coletar material que serão analisados pela perícia cientifica. O perito Pablo Castro foi designado para periciar o local. Segundo ele, existe farto material para ser analisado. “Primeiramente periciamos danos à estrutura, e segundo, coletamos material biológico, impressões digitais e outras provas como imagens de câmeras existentes próximo ao local, além de outros materiais”. O perito esteve acompanhado do agente operacional Gustavo Conceição.
Inquérito 
Foi aberto um inquérito pelo delegado Sérgio Máximo, o qual declarou haver suspeitos e que a prisão preventiva será pedida à Justiça, além disso, não está descartada uma investigação minuciosa pelo Núcleo de Inteligência por se tratar de um crime com característica motivacional política.
Via Jacundá Tudo de Bom
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *