Crédito: Alessandra Serrão/Agência Belém

Como reação aos casos suspeitos de Doença de Haff, conhecida como ‘urina preta' em solo paraense, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e Departamento de Vigilância em Saúde (Divisa) do município de Óbidos, região do baixo amazonas, divulgou nesta semana a lista de pescados que devem ser evitados. A medida foi adotada como forma de evitar a expansão dos casos da doença que até o momento possui casos suspeitos em Belém e Santarém.

De acordo com o alerta emitido pela Prefeitura de Óbidos (PA), os seguintes peixes devem ser evitados: Pirapitinga (Pearactus brachipomus), Tambaqui (Colossoma macropomum) e Pacu (Piaractus mesopotamicus). Os órgãos de saúde do município também orientam que profissionais de saúde e população em geral devem estar atentos para sintomas como fraqueza, dor muscular, dor de cabeça, dormência e urina escura iniciados a partir das duas horas após o consumo dos peixes mencionados. Vale lembrar que a Prefeitura Municipal de Juruti proibiu o consumo e a comercialização das espécies mencionadas no município.

Prevenção

A orientação também foi adotada ao levar em consideração a proximidade de Óbidos e Santarém, que ficam a 234 km de distância, considerando a via fluvial. Além disso, Óbidos está a 508 km de Parintins, no estado do Amazonas, que registrou dois casos da doença no mês de agosto. Também é preciso destacar que atualmente o estado enfrenta um surto da doença.

Outra orientação comunicada pela Vigilância Sanitária do município é que, em caso de sintomas, a população busque imediatamente uma unidade de saúde da rede pública ou privada. A orientação é baseada no estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que também associa a toxina que causa a doença a crustáceos como o camarão.

Casos em investigação

Em Belém, um caso está em investigação pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) e foi confirmado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) na manhã desta quinta-feira, 9.

Já o segundo caso em investigação está no município de Santarém, onde um homem de 55 anos morreu no Hospital Municipal de Santarém Dr. Alberto Tolentino Sotelo (HMS). A vítima foi identificada como Genivaldo Cardoso, que foi internado com sintomas compatíveis aos relacionados a doença.

Por: Roma News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.