Foto: Marcelo Seabra/Agência Pará

Cerca de 3.500 estudantes, de 13 escolas da rede pública da sede municipal de Marabá e dos distritos de Morada Nova e São Félix, no sudeste paraense, participaram na última quarta-feira (19) da cerimônia de conclusão de cursos do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd).

Realizado no Centro de Convenções da Assembleia de Deus, o evento encerrou um ciclo de quatro meses de formação, e contou com a participação do governador Helder Barbalho e do vice-governador Lúcio Vale.

A diretora da instituição de ensino que teve 250 estudantes atendidos pelo programa, Marileide Gomes dos Santos, acredita que, por a escola estar em uma área periférica, a função do Proerd é ainda mais importante.

Foto: Marcelo Seabra/Agência Pará

“Infelizmente, a presença das drogas ainda é muito forte, e trabalhamos desde cedo com o nosso público, do primeiro ao quinto ano, como eles podem dizer não às drogas e como não devem aceitar ajuda de estranhos”, acrescentou.

Para o governador Helder Barbalho, o sentimento vivenciado ao se deparar com milhares de crianças contempladas pelo projeto, foi de muita emoção. “Acima de tudo, temos a certeza de que essas crianças passam a ter um nível de conhecimento, de informação, que permitirão melhor clareza na tomada de decisão do caminho das suas vidas. Este é o papel que o Estado deve exercer em parceria com cada família. Que a escola seja um ambiente pedagógico e de conhecimento, mas também de formação de cada cidadã e cidadão, e a polícia, além de garantir segurança pública, também é decisiva na garantia de cidadania, e é isso que a PM faz com o Proerd espalhado no nosso Pará”, destacou.

Viatura 

Na ocasião, a Polícia Militar, corporação responsável pela execução do programa no Pará, recebeu uma viatura para ser utilizada no transporte dos instrutores do Proerd até as escolas onde o curso é ministrado. Aos 18 anos, Samara Santos Oliveira é graduanda de enfermagem e voluntária civil do 4º Batalhão da PM em Marabá. Sua história com a Polícia Militar começou a ser reescrita ainda em 2013, quando participou do programa. Foi por meio do Proerd, segundo ela, que foi possível ter esperanças em um futuro melhor.

“Falar hoje sobre o programa é emocionante para mim, porque me ajudou muito, me fez sonhar, me trouxe esperança e me fez ter vontade de estudar e ser alguém na vida. Hoje sou graduanda em enfermagem, voluntária civil do Batalhão, e estou estudando para ser uma policial militar e instrutora do Proerd, para ajudar várias crianças e adolescentes como eu fui ajudada. O Proerd mudou a minha vida”, contou Samara Oliveira.

O programa

O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, originalmente Dare (Drug Abuse Resistence Education), foi criado em 1983 em Los Angeles (EUA), a partir de uma proposta discutida sobre como parar o ciclo gerador do abuso de drogas, das condutas criminosas e das prisões relacionadas ao uso de entorpecentes. Atualmente, 114 municípios do Pará são atendidos pelo Proerd, que em 2019 celebra 10 anos de atuação em Marabá. O público-alvo é formado por estudantes do 5º ao 7º ano do ensino fundamental de escolas públicas e particulares.

(Com informações DOL da Agência Pará)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *