Paulo do Rosário Padrilha, o falso pastor preso por estupro. | Reprodução/Redes Sociais

Uma operação denominada “Acredite em Mim”, realizada pela Polícia Civil, por meio da Divisão de Atendimento ao Adolescentes (DATA) e da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (DEACA/Ananindeua), que tem como objetivo investigar casos que envolvem crianças e adolescentes e amanhã desta quinta-feira (31), colocou atrás das grades um homem suspeito de estupro de uma criança de 10 anos em Ananindeua.

De acordo com a polícia, Paulo do Rosário Padilha, de 47 anos, estava sendo procurado pelas autoridades desde abril do ano passado, quando o crime sexual contra a menor teria acontecido dentro de uma igreja evangélica onde o homem se intitulava pastor.  

Segundo a corporação, Paulo foi detido em via pública, após sair de um culto religioso, no bairro do Aurá, em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém. Contra o suspeito já havia um mandato de prisão preventiva pelo crime.

O caso de estupro chegou ao conhecimento da Divisão de Atendimento a Criança e ao Adolescente (DATA) depois que a família da vítima fez a denúncia. Durante as investigações, a polícia identificou que o acusado enviava mensagens aliciando a menina.

Após a denúncia da família, foram realizados exames periciais que comprovaram a violência sexual. À época, o autor do crime fugiu e após dias de diligências a equipe conseguiu localizá-lo. Em depoimento ele negou o crime

Por: DOL/ Sancha Luna/ RBA TV

Comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.